Dilma chora ao receber relatório sobre ditadura militar

A presidente reeleita em outubro afirmou que o documento realizado pelo CNV ajuda o Brasil a “se reconciliar consigo mesmo” após as duas décadas de regime

Foto: Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados

Foto: Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados

A presidente Dilma Rousseff (PT) se emocionou e chorou durante a cerimônia de entrega do relatório final da Comissão Nacional da Verdade (CNV) nesta quarta-feira (10). A cena ocorreu quando a petista fez referência aos brasileiros que perderam parentes e amigos no combate à ditadura militar.

Muito emocionada, Dilma chorou ao dizer que o Brasil merecia a verdade sobre a ditadura militar. “Sobretudo merecem a verdade aqueles que perderam familiares e parentes e que continuam sofrendo como se eles morressem de novo e sempre a cada dia”, disse, com a voz embargada, após interromper o discurso por causa do choro.

Na ocasião, a presidente reeleita em outubro afirmou também que o relatório ajuda o Brasil a “se reconciliar consigo mesmo”, após as duas décadas de regime militar. Dilma, que é ex-presa política, disse ainda que o documento é resultado de “esforço pela procura da verdade, respeito da verdade histórica e estímulo da reconciliação do País”.

A petista salientou que ter acesso à verdade não “significa revanchismo”. “A verdade faz com que agora tudo possa ser dito, explicado e sabido. A verdade significa a oportunidade de fazer o encontro de nós mesmos com nossa história e do povo com a sua história”, comentou.

O relatório final da CNV faz um relato das atividades desenvolvidas durante os dois anos e sete meses de investigações, além de fatos apurados, conclusões e recomendações. De acordo com o coordenador do colegiado, Pedro Dallari, uma das conclusões mais importantes do relatório final é a confirmação de que as graves violações aos direitos humanos, durante o período da ditadura militar, foram praticadas de maneira sistemática.

Criada pela Lei 12.528/2011 e instalada em maio de 2012 para examinar e esclarecer violações de direitos humanos cometidas entre 1946 e 1988, principalmente no período da ditadura militar (1964-1985), a Comissão Nacional da Verdade terá seus trabalhos encerrados no próximo dia 16. No relatório final, o grupo sugere a criação de um órgão público para dar seguimento e continuidade às ações da CNV.

*Com informações da EBC

4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

KIELHTM

EXISTEM BRASILEIROS QUE ANSEIAM POR MUDANÇAS, PEDEM A VOLTA DO REGIME MILITAR, SÃO FRACOS E DESCONHECEM A VERDADE!

Julio Henrique Marc Fiuza

Lágrimas de crocodilo. Ela devia é chorar de vergonha pelo que está fazendo ao povo brasileiro …..

antonio

Tudo bem, que a nossa Presidenta chore de emoção pelo que passou, mas foi por culpa do que fizeram também. Acho que ela deveria chorar também pelo que fizeram, e a comissão da verdade encobriu tudo e não publicou nada, condenando só o lado dos militares. Os militares tiveram seus erros, como o outro lado tiveram muitos e foi tudo jogado para debaixo do tapete, como fez a comissão da verdade. isto não é justo.

ironei

Nos tempos da Ditadura, prefeitos capitais e governadores eram nomeados “votos indiretos”, hoje assistimos o maior escândulo de propinas/corrupção, envolvendo diretores da petrobras, políticos e empresas. Aí ficam a divulgar que o governo é mais corrupto de todos os temos, etc….. A pessoas até podem pensar assim por causa que hoje os fatos não são acobertados. Mas se tivéssemos como acessar via túnel do tempo esse período, saberíamos por que o Brasil é um País subdesenvolvido e com uma enorme desigualdade nas distribuição de rendas, com muitos políticos multi-bilionários herdados da política nefasta que ocorrera no Brasil. Ainda assim, existem… Leia mais