Diferente de Goiânia, escalonamento do comércio em Aparecida deve ser feito por dias

Prefeito e secretário de Saúde atualizam medidas tomadas para o enfrentamento à Covid-19

O prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha (MDB), e o secretário municipal de Saúde, Alessandro Magalhães, detalharam nesta terça-feira, 19, quais medidas estão sendo estudadas para o enfrentamento ao novo coronavírus.

Mendanha adiantou que o escalonamento do comércio em Aparecida será diferente de Goiânia. “Não será por horário, estudamos a alternância por dias, mas isso ainda será definido”, explicou. Segundo o prefeito, seu desejo é continuar flexibilizando porém é preciso agir com cuidado e preocupação.

“A princípio teremos dias alternados no comércio. As pessoas precisam entender que estamos vivendo um momento crítico e todos precisam ter responsabilidade”, disse Mendanha, ao externar preocupação com as pessoas que sequer acreditam na doença.

O secretário municipal de Saúde, Alessandro Magalhães, afirmou que o comitê de enfrentamento à Covid-19 está construindo uma nota técnica que será norteada pelo tripé: taxa de mortalidade, número de casos por população e ocupação de leitos. “Esses são os gatilhos que estamos monitorando24h”, explicou.

Magalhães detalhou que Aparecida é o 20º município em coeficiente de casos no Estado. Outro dado apresentado foi o desempenho do município que apresenta uma curva de casos menor do que a curva esperada. “A taxa de ocupação de leitos hoje é 52%, especificamente de Covid-19 é 12%. Temos 94 pacientes curados e 14 internados. A taxa de letalidade é 4,4%, com 8 óbitos”, detalhou.

O prefeito enfatizou que a prefeitura segue a orientação da OMS e se chegar a 70% de ocupação de leitos irá fazer um isolamento mais severo. “E nas regiões que não contribuem podemos fazer esse fechamento antes disso”, falou ao citar a região do Garavelo que ainda tem registrado aglomerações. “Não podemos prejudicar quem tem colaborado por conta de quem não está fazendo a sua parte”, completou.

O secretário Magalhães falou ainda sobre a necessidade do uso correto da máscara. Ele adiantou que está sendo elaborado um projeto de lei com uma multa que será revertida em compras para cestas básicas de famílias carentes do município. Sobre as academias, o secretário ponderou que o risco ainda é maior que o beneficio.

Sobre as aglomerações no transporte coletivo, Mendanha falou que tem dialogado com as empresas para que elas utilizem os serviços das vans para carregar os funcionários. Em relação aos parques, o prefeito admitiu que estuda o fechamento dos locais com o intuito de evitar que Aparecida viva realidades duras como as enfrentadas por Manaus e Fortaleza.

“Já perdemos R$50 milhões em receita. A expectativa é de uma perda de R$188 milhões só com a primeira paralisação, nossas economias estão afetadas. Mas todo mundo precisa ter consciência, e como gestor público preciso ter responsabilidade “, assegurou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.