Diante de paralisação na Vila São Cottolengo, SES diz que fará repasses mês a mês

Governo estadual deixou de repassar mais de R$ 5 milhões e hospital e escola suspendem serviços a partir desta sexta-feira, 1

Foto: Reprodução

Após anúncio de paralisação no atendimento do Hospital da Vila São Cottolengo, em Trindade, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) disse, em nota, que está empenhando esforços para conseguir quitar as dívidas deixadas.

De acordo com a pasta, a dívida da saúde é de R$ 700 milhões e, para quitar, a SES deve fazer repasses ordinários mês a mês, referentes a 2019, “para a manutenção de todos os serviços de saúde do Estado, que são essenciais para a população”

Confira nota na íntegra:

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) reconhece o importante serviço prestado pela Villa São Bento Cottolengo aos goianos e informa que está empenhando esforços para conseguir quitar as dívidas deixadas pela gestão passada, que somam, no total, cerca de 700 milhões de reais. Informa ainda que para a unidade em questão não foram repassados no ano passado cerca de 3,5 milhões de reais de recursos estaduais e cerca de 3,5 milhões de reais dos recursos federais. Com a aprovação do orçamento deste ano, a pasta, em consonância com a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), realizará os repasses ordinários mês a mês, referentes à 2019, para a manutenção de todos os serviços de saúde do Estado, que são essenciais para a população.

Atualização

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) enviou, mais tarde, outra nota de esclarecimento “lamentando” a paralisação dos serviços da Villa São Cottolengo e “estranhando” que tal medida tenha sido tomada após nove meses de atraso da gestão anterior e sem maior espaço ou prazo para negociações com esta Secretaria. Confira:

Importa esclarecer que todos os pagamentos relativos a 2019 serão feitos regularmente, uma vez que o governador Ronaldo Caiado estabeleceu a Saúde como prioridade de custeio, no atual cenário de crise fiscal. O governo anterior deixou de repassar mais de sete milhões de reais à Villa Cottolengo, relativos ao período de abril a dezembro de 2018.

O governo de Goiás honrará essa dívida pregressa, mas salienta que é totalmente impraticável arcar, em tão pouco tempo, com dívidas de meses – ou anos, como é o caso de outros débitos herdados, apesar de todo empenho para angariar recursos junto ao governo federal, a fim de saldar a dívida ao longo desta gestão. A população de Goiás e em particular os pacientes do Vila podem ter a certeza de que esta gestão empreenderá todos os esforços necessários para a retomada imediata do atendimento.

Auditoria

A SES-GO esclarece ainda que dará início a auditoria do contrato de convênio com a Villa São Cottolengo, com o objetivo de averiguar o cumprimento das cláusulas e execução os serviços.

Recursos federais

Em setembro e outubro, a São Cottolengo recebeu 40% dos repasses federais. Sendo cerca de 800 mil em cada mês. O débito referente ao mês de novembro (R$ 2.086.398,79) foi informado somente ontem, 30, pela unidade à SES.

Convênio com recursos estaduais

(500 mil reais por mês) Não foram pagos 300 mil reais do mês de abril e o total dos meses de maio a outubro.

Atualizada às 19h14

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.