Diante da indecisão de vereadores, votação do projeto que aumenta salários é adiada

Autor da proposta, vereador Milton Mercês (Patriota) não pediu a inclusão do projeto na pauta. Votação agora precisa ser pautada pelo presidente da Câmara. Expectativa é de que apreciação aconteça na próxima semana

Plenário da Câmara Municipal de Goiânia | Foto: Lívia Barbosa / Jornal Opção

A primeira votação do projeto de lei que prevê aumento no salário do prefeito, secretários e vereadores da capital que estava prevista para hoje não foi realizada na sessão ordinária desta quinta-feira, 10.

O projeto foi aprovado na quarta-feira, 9, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Para entrada na pauta de hoje, o autor da proposta, vereador Milton Mercês (Patriota) precisava colher assinatura dos colegas, e pedir a inversão de pauta, o que não foi feito. Agora, para ser votada, a proposta precisa ser pautada pelo presidente Romário Policarpo (Patriota).

A votação foi adiada diante da indecisão de muitos vereadores que ainda não definiram se votarão contra ou a favor da proposta. É o caso do líder do Governo, Welington Peixoto (DEM). “Eu conversei ontem com o Paulo Ortegal para ele intermediar com o prefeito, mas o prefeito disse que essa é uma decisão da câmara e que só depois ele irá analisar. Então não tem uma orientação para a base nesse sentido, essa questão eleitoral interfere muito e o desgaste também”, diz Peixoto ao afirmar que muitos vereadores desejam votar favorável à proposta mas preferem não expor essa vontade.

A percepção do vereador Anderson Bokão (DEM) também é de que muitos vereadores ainda não definiram seus votos. “Existem muitos vereadores indecisos depois que essa pauta foi apresentada. Nós temos que observar quu o projeto não tem ilegalidade, mas é imoral pelo momento que estamos vivendo. Então a gente tem que ter a sensatez de entender que esse momento não é favorável”, disse ao declarar voto contrário á proposta.

O projeto

O projeto prevê que o salário do prefeito deve ser fixado em igual valor a dos deputados estaduais, do vice-prefeito equiparado a dos vereadores, que seria em 75% do valor recebido pelos deputados.

Caso seja aprovada, o salário do prefeito sairá dos atuais R$ 27 mil para R$ 33,7 mil, aumento de 39,4%. Enquanto os vereadores receberão R$ 18,9 mil (hoje é R$ 15,6 mil), reajuste de 21,4%. O reajuste, no entanto, só valerá a partir de 2022 caso não exista mais impedimentos da Lei Federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.