Decreto propõe medidas mais rígidas por 72 horas. Diretor científico da Sociedade de Infectologia do Distrito Federal afirmou que ação não vai surtir efeito significativo

Governador Ibaneis Rocha (MDB). Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira, 8, o Governo do Distrito Federal (GDF) intensificou as medidas de isolamento social em Ceilândia, Sol Nascente/Por-do-Sol e Estrutural devido à incidência de novos casos de Covid-19 nessas áreas.

Para garantir o cumprimento do decreto publicado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), as forças de segurança atuaram nas ruas. As novas medidas começaram a valer ontem e permanecem em vigor por, pelo menos, 72 horas.

O decreto determinou o fechamento de shoppings centers, feiras populares e estabelecimentos comerciais de qualquer natureza, além de proibir o funcionamento de parques e a prática de cultos ou missas de qualquer credo ou religião.

Para o jornal Correio Braziliense, o diretor científico da Sociedade de Infectologia do Distrito Federal, José David Urbaez, declarou que o prazo estabelecido pelo GDF é muito curto.

“É uma tentativa, mas não vai fazer com que as pessoas fiquem em casa. É um exemplo de medida que vai ser inócua, porque a maioria dos elementos de emprego ficam fora dessas regiões. O confinamento em casa é um reflexo de as pessoas conseguirem se sustentar. Sem possibilidade de renda, as pessoas se jogam no emprego”, defendeu.