Detentos começam a trabalhar em parques de Goiânia para projeto de ressocialização

Recuperando Pessoas e Parques é um projeto de iniciativa do MP-GO, que pretende dar oportunidade de trabalho a presos de regime semiaberto 

Detento trabalhando pelo projeto Recuperando Pessoas e Parques | Foto: Karine Almeida

De iniciativa do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), o projeto Recuperando Pessoas e Parques começou nesta segunda-feira (14/5) no Bosque dos Buritis em Goiânia. Com jornada de trabalho de segunda a sexta-feira, das 7 às 11 horas e de 12 às 16 horas, a ação iniciou levando 50 presos do regime semiaberto de Aparecida de Goiânia para cuidar do parque.

Os presos que participarem da ação, que também vai acontecer em outros parques, irão receber um salário mínimo, alimentação e a remição de pena,  com dedução de um dia para cada três dias de serviço, além de complementar a força de serviços promovidos pela Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) da prefeitura de Goiânia. A proposta do projeto, de iniciativa do promotor Marcelo Celestino, é a ressocialização dos detentos por meio da oportunidade de trabalho.

Marcelo, que também é responsável pelo monitoramento do sistema prisional goiano, disse que a força de trabalho dos presos do regime semiaberto do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia vai ajudar na recuperação ambiental dos parques da capital e de Aparecida. Segundo ele, a meta é alcançar o número de 300 postos de trabalho alternados entre 3 mil presos.

Sobre a forma de escolher quem vai trabalhar nos parques, o promotor completou que “os detentos participantes do projeto são selecionados a partir de critérios como interesse e bom comportamento”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.