Desenhista brasileiro Joe Bennett é excluído da Marvel Comics por fazer ilustrações pró-Bolsonaro e antissemitas

Editora anunciou que paraense, conhecido pelo trabalho em O Imortal Hulk, foi excluído de “quaisquer projetos futuros” após roteirista Al Ewing repudiar desenhos ofensivos feitos por ele

O brasileiro Joe Bennett, artista conhecido por seu trabalho na revista em quadrinhos O Imortal Hulk, não vai mais trabalhar para a Marvel Comics. A editora anunciou que, Bennett, colaborador da empresa desde 1994, foi excluído de “quaisquer projetos futuros”. A informação é do jornal O Globo.

Desenhista Joe Bennett: excluído da Marvel Comics após arte militante pró-Bolsonaro e ofensiva a semitas e outros políticos | Foto: Reprodução

A Marvel não deu explicações, mas a notícia vem dias após o roteirista americano Al Ewing, parceiro de Bennett no título da Marvel, postar no Twitter seu repúdio a desenhos ofensivos do paraense que circularam nas redes sociais: uma antiga ilustração de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e uma página com mensagens antissemitas que saiu em fevereiro no próprio gibi do Hulk.

Em posts publicados no dia 2 setembro, Ewing se referiu com críticas pesadas a uma ilustração de Bennett de 2017, na qual retrata Jair Bolsonaro como um cavaleiro e adversários políticos do então deputado federal (Lula, Dilma, entre outros), como ratos. Michel Temer, hoje se aproximando de Bolsonaro, aparece como um vampiro.

“Tem uma imagem feita por Joe Bennett em 2017 circulando. Não vou compartilhá-la, mas a vi e é repreensível. (…)”, escreveu Ewing. “Se você viu a imagem, sabe o que é. Um espadachim de armadura, que acredito ser Bolsonaro por causa dos comentários de Joe, massacrando pessoas pequenas em fuga, com dentes enormes e orelhas de rato. E grandes narizes. Um deles fantasiado de Drácula.”

O roteirista americano também recordou que Bennett inseriu desenhos de conotação antissemita em “O Imortal Hulk” nº 43, publicada em fevereiro nos EUA. A série, que sai no Brasil pela Panini, chegará ao fim na 50ª edição, que chega ao mercado americano este mês.

No mesmo fio do Twitter de 2 de setembro, Al Ewing revelou que já havia tratado o caso internamente na Marvel. Também pediu desculpas a seus seguidores por até aquele momento não ter criticado publicamente as ilustrações de Bennett. Acrescentou, inclusive, que esse não foi o único caso problemático relacionado ao brasileiro que chegou à sua atenção.

Paraense de 53 anos, Joe Bennett tem como nome de registro Benedito Nascimento e aprendeu a desenhar histórias em quadrinhos de forma autodidata, copiando os traços dos super-heróis da Marvel Comics nos anos 70. Começou a atuar profissionalmente nos quadrinhos em 1985 junto ao editor Franco de Rosa, que lhe ofereceu a primeira oportunidade de trabalho na área. Ele não se manifestou sobre o caso em suas redes sociais e, procurado, não havia retornado até a publicação da reportagem.

* Com informações do jornal O Globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.