Desde o início da guerra, Rússia já disparou mais de 400 mísseis contra a Ucrânia

Na tarde desta terça-feira, 1, russos atacaram torre de televisão na capital ucraniana e ao menos cinco pessoas morreram

Desde a invasão russa na Ucrânia, iniciada na última quarta-feira, 24, mais de 400 mísseis disparados pela Rússia foram registrados, de acordo com um funcionário do ministério da Defesa, dos Estados Unidos da América. Nesta terça-feira, 1, inclusive, a maior torre de TV ucraniana foi atacada por míssil, em Kiev. Em relato à CNN, o funcionário afirmou ainda que os ucranianos possuem sistemas de defesa antimísseis aéreos que permanecem “viáveis, intactos e engajados”.

Em contrapartida, os russos estão enfrentando problemas de falta de combustível e comida. Sinais de que eles estariam se reorganizando para avançar ao centro do país foram comprovados a partir do ataque em Kiev. Os militares russos chegaram a avisar que nesta terça-feira, 1, fariam ataques em Kiev e que civis em áreas próximas deveriam sair. Segundo eles, os alvos seriam a Agência de Segurança de Estado e o 72º Centro Principal para Informações e Operações Psicológicas em Kiev. Após o aviso, houve um ataque a uma torre de TV na cidade. Ao menos cinco pessoas morreram e outras cinco ficaram feridas.

Na manhã de hoje, militares russos atacaram outras cidades, como Kharkiv, a segunda maior da Ucrânia, e Mariupol, uma cidade portuária no sul. Em Kharkiv, pelo menos dez pessoas morreram e outras 35 ficaram feridas depois de um ataque com foguetes. A explosão atingiu o prédio da Administração Estatal Regional do governo. No Twitter, na conta oficial do Ministério do Interior da Ucrânia, foi compartilhado o vídeo do momento do ataque e escrito: “A Rússia está travando uma guerra em violação do direito internacional humanitário. Mata civis, destrói a infraestrutura civil. O principal alvo da Rússia são as grandes cidades que agora são atingidas por seus mísseis”.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse que assinou nesta segunda-feira, 28, um pedido para que o país pudesse integrar a União Europeia. O Parlamento Europeu informou hoje, 1, que tem trabalhado para conceder à Ucrânia status de país candidato à adesão ao bloco. A resolução aprovada por 637 deputados exige também que a União Europeia imponha “sanções mais duras” à Rússia.

Tropas russas se aproximam

Um comboio está se aproximando de Kiev, segundo imagens de satélites. Com 64km de extensão, veículos blindados, tanques, artilharia rebocada e outros veículos, a tropa chegou aos arredores da capital ucraniana. Segundo a empresa Maxar Technologies, responsável pelo satélite, foram observadas nuvens de fumaça em casas e prédios perto das entradas por onde o comboio estava passando.

China diz que está pronta para ajudar no cessar-fogo

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, disse hoje, 1, que a China está pronta para “buscar solução pacífica” em negociações pelo fim da guerra entre Rússia e Ucrânia, já que chineses e russos possuem fortes relações comerciais e diplomáticas. Wang Yi, ministro chinês das Relações Exteriores, disse a Kuleba que Pequim “lamenta profundamente este conflito que eclodiu entre Ucrânia e Rússia e presta extrema atenção à dor sofrida pelos civis”, informou a emissora estatal CCTV.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.