Matéria foi alvo de manifestações contrárias da oposição, que alega ser processo de privatização. Já figuras da base explicam que se trata apenas de abertura de capital 

Foto: Divulgação

O projeto que prevê venda de até 49% das ações da Saneago acabou não caminhando durante a reunião da Comissão Mista da Assembleia Legislativa nesta quinta-feira, 17. Com manifestações contrárias desde que foi apresentado pelo Governo, a matéria teve diversos pedidos de vista.

Na terça-feira, 15, o deputado Zé Carapô (DC) refutou as críticas da oposição. Segundo o parlamentar, o projeto não prevê privatização da Companhia, como apontado. Carapô relembrou ainda que a abertura de capital estava prevista desde a última gestão estadual. 

A matéria do governo estabelece o chamado IPO – sigla em inglês para Oferta Pública Inicial (OPI) e se refere à abertura de capital. Quando convidado para esclarecer o projeto, o presidente da Saneago, Riacardo Soavinski, afirmou que com o projeto o Estado permanece no controle da estatal e justificou que não há interesse em privatizá-la, já que municípios pequenos atendidos pela Companhia ficariam prejudicados por não serem rentáveis.