Deputados mantêm pedágio de 100% e aprovam idade menor para aposentadoria de professores

Nesta sexta-feira, 12, os deputados continuam a analisar os últimos destaques que podem alterar o texto-base da reforma da Previdência, aprovado na forma do substitutivo

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

A Câmara dos Deputados rejeitou, na tarde desta sexta-feira, 12, o destaque apresentado pelo PDT que tinha por objetivo eliminar o pedágio previsto no texto da Reforma da Previdência (PEC 6/19). Ao todo foram contabilizados 387 votos favoráveis à manutenção do texto-base enquanto 103 parlamentares votaram contra.

O relator da proposta, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), foi quem propôs um pedágio de 100% para aqueles que já estão trabalhando. Segundo informações da Agência Câmara Notícias, o parlamentar sugeriu a medida para não faltar, na data da promulgação da futura emenda, o tempo necessário para atingir 35 anos de contribuição para os homens e 30 para as mulheres. A idade mínima exigida é de 60 anos para os homens e 57 anos para as mulheres.

Professores

Já com 465 votos a 25, os deputados aprovaram o destaque do PDT e reduziu mais a idade exigida do professor para se aposentar pelo pedágio de 100% do tempo de contribuição que faltar na data de publicação da futura emenda constitucional. A idade passa de 55 anos se mulher e 58 anos se homem para 52 anos se mulher e 55 anos se homem.

Dessa forma, os professores de educação infantil e do ensino básico poderão se aposentar com cinco anos a menos que o exigido para os demais trabalhadores.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.