Deputados estaduais avaliam gestão de Lissauer e a consideram inovadora

Entre os pontos ressaltados pelos parlamentares estão o debate democrático entre base e oposição, a realização virtual das sessões ordinárias e a entrega da nova sede da Alego

Após o presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB), entregar a nova sede do Poder Legislativo goiano, parlamentares como Lêda Borges (PSDB) e Humberto Aidar (MDB) avaliaram positivamente sua gestão, destacando-a como inovadora. O próprio pessebista chegou a destacar pontos em que considera como conquistas dentro de sua própria administração da Casa de Leis.

Para a parlamentar do PSDB, a atuação de Vieira, que foi iniciada em 2019, ao ser eleito presidente da Casa, pode ser caracterizada como “muito democrática”. Para ela, que é líder da bancada de oposição dentro da Alego, os deputados possuem total liberdade para expressarem suas opiniões e realizarem suas críticas. Em concordância, Aidar considerou a existência de grande respeito à oposição, pontuando a condução do presidente como “sábia e republicana”.

“O presidente Lissauer tem conduzido a Casa com maestria, respeitando a oposição, as diferenças partidárias, sempre abrindo espaço para todos. Ele sabe tocar a Casa como um Poder Legislativo de verdade”, pontuou Humberto Aidar. Ponto ainda ressaltado por parlamentares e que o próprio presidente da Alego destaca é a característica inovadora que a gestão carrega, marcada pela realização das sessões remotas durante a pandemia da Covid-19 e da própria entrega da nova sede da Alego.

De acordo com o presidente, realizar as sessões ordinárias de forma virtual foi a forma mais estratégica para continuar os trabalhos dos parlamentares mesmo em um momento que o isolamento se fez necessário ao combate a Covid-19. “Fomos a segunda Casa de Leis do país a adotar essa plataforma que vem nos permitindo manter a alta produtividade nos trabalhos. No período crítico da pandemia, deliberamos matérias importantes para o enfrentamento da crise, além de outros projetos de grande relevância para a sociedade goiana”, explicou.

Para que isso funcionasse, em março de 2020, chegou a ser implantado o Sistema de Deliberação Remota (SDR), essencial para a realização dos trabalhos à distância. Como outra conquista, os parlamentares e o próprio presidente mencionam a entrega da sede da Assembleia Legislativa, obra que iniciou em 2005 após ser idealizada desde 2001, mas que contou com paralizações nos anos de 2007, 2013 e 2015.

Para Lissauer, inclusive, além de essa ser uma de suas principais realizações, foi um dos maiores desafios de sua condução. A expectativa do presidente da Alego é que a primeira sessão parlamentar a ser realizada na nova sede ocorra no dia 15 de fevereiro de 2022, no plenário do novo prédio. O início da transferência dos servidores ao novo local foi iniciado no dia 23 de dezembro de 2021.

“Quando assumimos a presidência da Alego, em 2019, firmamos esse compromisso não só com os deputados e servidores, mas com toda a população goiana. Foi desafiador, principalmente, pelos impactos provocados pela pandemia, mas com muito trabalho, apoio dos colegas parlamentares e responsabilidade com o dinheiro público, estamos entregando essa grande conquista que ficará como legado na história do Poder Legislativo de Goiás”, ressaltou.

Outro ponto que Lissauer destaca em sua gestão é o pagamento das emendas impositivas, que ocorreu através de constante diálogo junto ao governo estadual e os próprios deputados estaduais – de base e oposição. “Com isso, acabamos com o “faz de contas” que a Assembleia vivia antes e entramos em um consenso suprapartidário, ou seja, todos os deputados, independente da sigla política, são contemplados e, claro, quem ganha com isso é a sociedade, que tem sido beneficiada em áreas essenciais como saúde, educação, segurança pública e infraestrutura”, salientou Lissauer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.