Deputados do PMDB afiançam apoio a José Nelto

Adib Elias, Ernesto Roller e Bruno Peixoto apontam o colega como o melhor nome para a presidência do partido e preferem que candidatos cheguem a acordo

| Fotos: Y. Maeda

Para deputados, grande número de candidatos mostra a força do partido | Fotos: Y. Maeda

As eleições para a presidência do PMDB serão no dia 24 de outubro, mas a disputa ainda ganha novos nomes: a menos de um mês da disputa, o ex-deputado federal Sandro Mabel anunciou, nesta terça-feira (29/9), que também vai concorrer ao cargo. No entanto, segundo os deputados do partido na Assembleia Legislativa, o apoio da bancada peemedebista é mesmo de José Nelto.

Em entrevista ao Jornal Opção Online, Adib Elias, Ernesto Roller e Bruno Peixoto afiançaram o apoio ao deputado. “Estamos trabalhando para o deputado José Nelto assumir a presidência do diretório estadual”, garantiu Bruno Peixoto. “O José Nelto tem uma grande disposição para essa função [de presidente] – para reorganizar o partido, para fortalecer aquilo que está dando certo, para modificar, imprimir as mudanças que são necessárias”, acrescentou Roller.

Assim como José Nelto, eles avaliaram positivamente o grande número de candidatos ao cargo – além de José Nelto e Sandro Mabel, também estão na disputa o deputado federal Daniel Vilela e o ex-prefeito de Bom Jardim, Nailton Oliveira. Para Adib, esse cenário “mostra a grandeza do partido, mostra que o partido tem gente importante que quer gerenciá-lo”.

Embora apoiem José Nelto, eles concordam que o melhor caminho seria chegar a um acordo, sem uma eleição propriamente dita. “Nós vamos tentar tanto quanto possível que não haja disputa. Esperamos chegar a um consenso: seja Sandro Mabel, Daniel e Nailton compondo com José Nelto ou o José Nelto compondo com estes”, pontuou Bruno.

Ele acrescentou ainda que o PMDB deve tentar escolher o presidente da maneira mais salutar possível: “Se houver disputa, será uma disputa saudável, sem sequelas”. “Tenho certeza absoluta que o partido vai discutir, vai colocar suas ideias e, no final, tem tudo para eles sentarem e resolverem o processo eleitoral sem a disputa”, concordou Adib.

Para Roller, é natural que vários candidatos se interessem pela função. “Acho que a disputa é, primeiro, um instrumento democrático e vejo com naturalidade. Todo filiado tem o direito de pleitear a presidência”, disse ele. Segundo o deputado, o mais importante é o que vem depois da eleição: “O que o partido espera é que o presidente cumpra o seu dever que lhe foi determinado pelo eleitor: fazer o trabalho de oposição no estado de Goiás”, finalizou.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.