Projeto pessoal pode considerar reeleição à Câmara e até mesmo abandono da disputa eleitoral

“Eu sou candidato ao Senado, não retirei minha candidatura”. Essas são as palavras do médico e deputado federal Zacharias Calil (UB) quando questionado sobre o projeto político para 2022. Recentemente, Calil revelou que considera as possibilidades de disputar reeleição ao mandato na Câmara Federal e até de ficar fora do pleito deste ano, mas garante que a cadeira do Senado ainda é o principal plano. “Agora tem uma vaga e eu poderia concorrer, mas não é uma coisa definitiva. Se não der certo, a vida segue e estarei pensando numa reeleição e também na minha vida pessoal”, esclarece.

Segundo o deputado, o principal questionamento sobre o seguimento na vida política vem de familiares. Ao Jornal Opção, ele conta que no último domingo, 24, esteve com a família e ouviu alguns pedidos para que ele não fosse candidato novamente. Ele não descarta ouvir os entes próximos, mas demonstra satisfação em estar na vida pública. “Sempre tive vontade de experimentar a política e achei muito importante para minha vida e de todas as pessoas impactadas. Fiz grandes amizades no Congresso e consegui o principal, o Hospital da Criança e do Adolescente”, destaca. Para Calil, a passagem pela política permitiu a consolidação do que ele considera um marco tanto na carreira de médico, como na função de deputado. “É um sonho realizado!”, celebra.

Por conta disso, ele garante ter apenas satisfação com a vida pública, o que ao mesmo tempo serve como motivação para prosseguir com o trabalho, mas também garante tranquilidade caso a carreira política sofra uma pausa. O posicionamento, inclusive, chegou a dividir a opinião de outros políticos com quem teve contato. “Teve gente que disse que eu não devia falar isso, porque sempre temos que falar que somos candidatos. Mas vários outros me parabenizaram por ouvir família e projetos pessoais.”

Caso o plano A, de disputar o Senado, não se consolide, Zacharias Calil ainda cogita outros rumos como planos B (ou mesmo C). Optando por seguir na vida política, ele pode lançar candidatura à reeleição, dando sequência ao trabalho com foco quase integral na saúde. É a mesma área que dita as possibilidades fora da política. O médico revela ter vontade de viver no exterior para buscar novas experiências pessoas e profissionais. “Antes de entrar na política, tinha a intenção de ficar fora do Brasil, aprender novas culturas e mostrar meu trabalho”, revela.

Calil, que é referência na América Latina em áreas como separação de gêmeos siameses e tratamento de hemangiomas, conta que já havia organizado o planejamento de seis meses nos EUA, para apresentar e discutir seu trabalho na Vascular Birthmarks Foundation (maior fundação com foco em hemangiomas no mundo) e gostaria de colocar a missão em prática.