Atualmente no PSL e apoiador do presidente Jair Bolsonaro, parlamentar começa a esboçar estratégia para eleições 2022. Chance remota de assumir presidência estadual do partido é obstáculo.

 

As estratégias para as eleições 2022 começam a ser articuladas no cenário goiano. Apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o deputado Major Vitor Hugo (PSL) considera a hipótese de se filiar aos Progressistas (PP). No entanto, deve haver cautela, já que a liderança do partido em Goiás é exercida por liderança importante do estado, o ex-deputado federal e ministros das Cidades, Alexandre Baldy.

“Minha ida vai depender dos políticos já apostos nos partidos para os quais o presidente pretende ir. O Baldy, por exemplo, vai sair para senador ou deputado federal?”, pontuou o deputado.

De olho na presidência estadual do partido para o qual pretende migrar, o deputado vê mais um obstáculo a ser enfrentado caso se filie ao PP. “Se ele (presidente) for para o PP, a possibilidade de eu ser presidente estadual do partido é remota. O Alexandre (Baldy) está lá há muito tempo”, disse Major Vitor Hugo.

Outra condicionante está na possibilidade de alteração na legislação eleitoral. Há uma proposta a ser votada, o Distritão, que prevê eleições majoritárias para os cargos do legislativo. “Se isso for aprovado, os 17 mais bem votados serão eleitos”, analisou o parlamentar goiano.

Major Vitor Hugo considera o PP núcleo da base do governo. Com nomes fortes como Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados, e Ciro Nogueira, novo ministro da Casa Civil, o deputado goiano demonstra boa relação com políticos do partido em âmbito local. “Tenho grande proximidade com o prefeito de Anápolis, Roberto Naves, com vários outros prefeitos e vereadores”, revelou.