Juiz acata mandado de segurança para barrar nomeação de Bia de Lima para o CEE

Deputado que impetrou o MS argumenta que a professora defende “ideologia de gênero”

Após a aprovação do nome de Bia de Lima para o Conselho Estadual de Educação (CEE), na terça-feira, 19, o deputado estadual Humberto Teófilo (PSL) voltou a tentar barrar seu nome ao posto. Segundo ele, o desembargador Marcos da Costa Ferreira deferiu seu Mandado de Segurança para impedir a nomeação da presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Goiás (Sintego).

É a segunda vez que parlamentares agem para impedir a nomeação de Bia. Em abril ela nem chegou a ser aprovada na Assembleia Legislativa de Goiás, porque os deputados argumentaram que a sindicalista era defensora do que eles chamam de “ideologia de gênero”.

Em nota, o parlamentar chega a chamar Bia de “líder de esquerda”. À época das primeiras retaliações ao seu nome nesse sentido, a educadora disse que em nenhum momento fez essa defesa como alegam os parlamentares. “Minha atuação não se pauta com essa argumentação, mas na defesa dos profissionais da Educação. Porém estão buscando algum subterfúgio para tentar fazer com que nós não cheguemos até o conselho”, considerou.

“Inclusive acho que essa polêmica da questão de gênero não pode estar no interior das escolas, pode ser discutido nas universidades. Mas dentro das escolas eu acho que vai mais atrapalhar do que ajudar”, argumentou à época.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.