Deputado repudia PEC de Caiado que acaba com repasse exclusivo para UEG

Claudio Meirelles argumenta que a universidade já passa por dificuldades financeiras. “Retirando este valor extra começamos a correr o risco de fecharmos várias unidades”, argumenta

Deputado estadual Cláudio Meirelles / Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

A Constituição Federal exige que os Estados e municípios apliquem 25% de suas receitas em Educação. Em Goiás, a Constituição Estadual segue o que  determina a Federal e acrescentou mais 2% para ser aplicado somente na Universidade Estadual de Goiás (UEG). Assim, Goiás aplica, por fim, 27% em Educação .

Porém, a intenção do governador Ronaldo Caiado (Dem) é realizar alterações nesse modelo de distribuição por meio de um Projeto de Emenda Constitucional (PEC). A medida tem gerado repúdio por parte de diversos deputados da Assembleia Legislativa (Alego). Um deles é Cláudio Meirelles (PSC).

Ao Jornal Opção, Meirelles argumentou que os 2% destinados apenas para a UEG “eram satisfatórios” para a universidade. “Os governos anteriores foram ampliando suas unidades e levando a várias regiões do Estado, beneficiando principalmente as cidades polos de cada região. Assim foram dando oportunidades às pessoas do interior do Estado poderem cursar nível superior próximo de suas moradias e local de trabalho”, explicou.

Para ele, com a ampliação das unidades da UEG, a verba extra foi ficando cada vez mais “apertada” para atender a necessidade de cada um de seus campus no Estado. “Agora o governador Ronaldo Caiado (DEM) anuncia que irá retirar essa verba de 2% exclusiva da UEG. A nossa universidade já passa por dificuldades financeiras. Retirando este valor extra começamos a correr o risco de fechar várias unidades”, argumentou.

Por fim, o parlamentar voltou a questionar a atenção do governo no que diz respeito a Educação no Estado: “Os 25% aplicados na educação o governo não reforma escolas, não constrói quadras poliesportivas, não repassa dinheiro para a manutenção das unidades e agora quer incluir a UEG dentro desse percentual? Isso significa que a UEG daqui a alguns dias não terá dinheiro nem para comprar um papel chamex”.

Meirelles aproveitou também para convidar a população para reivindicar a derrubada da PEC encaminhada pelo governo a Alego. “Não podemos deixar o governo acabar com a UEG. Prefeitos, vereadores, lideranças, estudantes, comunidade se mobilizem. Venha à Alego e diga não a PEC do governador”, pontuou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.