Deputado quer militarizar escolas municipais em Goiás

Coronel Adailton (PP) apresentou proposta de convênio entre Estado e municípios que demonstrarem interesse

Foto: Reprodução / Facebook

Por Leicilane Tomazini

O deputado estadual, Coronel Adailton (PP), apresentou na terça-feira, 19, em sessão ordinária da Assembleia Legislativa, uma proposta de convênio entre Estado e municípios para transformar as escolas municipais em unidades militares. Professores que acompanhavam a reunião vaiaram o parlamentar durante sua fala.

De acordo com o deputado, a ideia do projeto é transformar as escolas municipais, das cidades em que os prefeitos manifestarem interesse, em unidades militares sob iniciativa do governo estadual. Segundo a proposta, seria autorizada a convocação de policiais militares e bombeiros para atuarem no ensino, sem ônus aos prefeitos.

O parlamentar defende a tese de que o modelo adotado pelos colégios militares é um modelo de sucesso. Para ele, o foco de toda a instituição deve ser a qualidade do ensino, priorizando valores, que na concepção do deputado, são essenciais, principalmente em crianças no início da vida escolar, como cidadania, respeito, disciplina e patriotismo.

O coronel Adailton reforça que existem, hoje, em Goiás, 60 colégios militares estaduais, e uma demanda de mais de mil alunos que aguardam na lista de espera. Para ele, esses números só reforçam a qualidade do ensino destas unidades. O deputado ressalta que esta ação já foi implementada em uma escola municipal na cidade de Piranhas, e garante que os resultados estão sendo satisfatórios.

“O Colégio Estadual Dr. César Toledo, em Anápolis, está em primeiro lugar no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), em Goiás, e entre as melhores escolas do país”, afirma o Coronel Adailton. Confrontando estes dados com a não aceitação por parte de alguns professores, o deputado alega que essa aversão pode ser em virtude do termo “militarização”. Para ele, esta palavra tornou-se pejorativa e não condiz com a essência de sua proposta que é melhorar a qualidade do ensino público.

Ao ser questionado sobre as vaias que recebeu durante a sessão, o parlamentar se diz firme em suas convicções, “em meu trabalho, busco sempre o melhor para a coletividade, e pretendo mostrar por meio de resultados que as escolas militares são a melhor forma de deixar os professores trabalharem sem ameaças, sem agressões, como é bastante comum nas escolas públicas, hoje”.

Caso a proposta do convênio entre estado e municípios seja aprovada, será realizada uma audiência pública para consultar pais e alunos, e verificar a viabilidade do projeto nas cidades que manifestarem interesse. O deputado adiantou que já foi procurado por alguns prefeitos e irá empenhar-se nesta ação visando uma educação de qualidade para o estado.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Alessandro

Para deputado! Não precisamos de quartel escolar, o que precisamos é de uma ampla melhoria na educação. E, com certeza, militarizar escola não é a melhor opção. Chega desse engobo de militarizar escolas.

Maria Cleide Alves de Amorim Costa

Parabéns deputado!!! Nós professores estamos cansados de trabalhar com alunos indisciplinados, que não nos respeitam.

Newton Amaral

Esse deputado não tem o que fazer e apresenta uma proposta dessa. O efetivo policial já está baixo e o senhor quer que militares sejam transferidos para municipios? Para, né. O governador cortando verbas da Ssp e o senhor não fala nada? Melhore as condições das escolas, apresente projetos que visam a melhoria da educação como: computadores, linhas de internet melhores, laboratórios para escolas de tempo integral, etc. Trabalhe mais, senhor deputado.