Deputado Paulo Cezar Martins sofre tentativa de homicídio

Peemedebista estava a caminho de Gouvelândia quando quatro tiros foram disparados contra sua caminhonete. Segurança do parlamentar revidou e ninguém ficou

Paulo Ceza, do PMDB, não ficou ferido | Foto: Assembleia Legislativa

Paulo Cezar, do PMDB, não ficou ferido | Foto: Assembleia Legislativa

O deputado Paulo Cezar Martins (PMDB) prestou depoimento à Polícia Civil na tarde deste sábado (11/4) após sofrer uma tentativa de homicídio na noite de sexta-feira (10), na GO-206, entre Quirinópolis e Gouvelândia, a 311 quilômetros de Goiânia.

Por volta das 22 horas, pelo menos cinco tiros foram disparados contra a caminhonete do parlamentar. Um deles furou um pneu e outros foram no para-lamas, para-choque e no vidro traseiro e na porta traseira — ambos do lado esquerda. Um sargento da Polícia Militar que fazia a segurança de Paulo Cezar revidou com cinco tiros. Ninguém ficou ferido.

A suspeita é a de que os responsáveis pela autoria do crime estariam em um VW Golf. A Polícia Civil de Quirinópolis e a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) investigam o caso.

*Informações atualizadas às 17h

3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Rose

Sinto pelo atento.Mas pergunto! Conforme jornal das 19 horas da TV Anhanguera informou que: Excelentíssimo deputado sofreu atentado por volta das 22 horas e estava indo para sua fazenda, fora do horário de trabalho em carro público, ainda tinha como segurança da polícia militar. Dois erros no meu ponto de vista e gasto com o dinheiro público. Mesmo que venha com a justificativa de trabalho com as suas bases. Adianto tal justificativa, pois é sempre o que ouvimos como justificativa.

Marta Rocha

Rose, a pedido, qualquer parlamentar usa a prerrogativa que se sentir ou haver alguma ameaça o Estado tem por obrigação dispor de segurança particular e por isso é feita por policiais militares.

Lita Carneiro

É pena que o Estado não tenha o mesmo zelo de dar segurança aos cidadãos comuns. Quando alguém sofre um atentado eu já me pergunto: teria ele denunciado caso de corrupção?