Thiago Peixoto (PSD) lembrou que presidente pode enfrentar mais momentos de dificuldade com uma eventual saída do PSDB do governo e uma denúncia de Janot

O deputado federal Thiago Peixoto (PSD) também comentou, em entrevista ao Jornal Opção, a  absolvição de Michel Temer (PMDB) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que, afirma ele, não representa calmaria para o presidente. Ele lembra que a situação vai continuar complicada: “Semana que vem tem duas novas ameaças: O PSDB sair do governo e a denúncia do Janot [Rodrigo, Procurador-Geral da República]”.

Para o parlamentar, no entanto, Temer precisa continuar articulando as reformas para evitar que o Brasil siga em recessão. “Tem uma frase do ex-primeiro ministro britânico Winston Churchill que fala o seguinte: ‘Se você está caminhando pelo inferno, não pare, continue andando’. Eu acho que o cenário atual é bem esse”, comparou.

“Toda essa crise política é muito ruim porque é o governo gastando energia para apagar esses incêndios. Ele [o Temer] mantém o poder, mas não consegue avançar as reformas que são fundamentais para a recuperação do Brasil”, lamentou ele. Na sua opinião, a reforma trabalhista será aprovada, mas a previdenciária, que já era difícil de ser articulada, não tem mais ambiente.

Ainda sobre uma eventual saída do PSDB, Thiago não acredita que a decisão vá impactar fortemente o cenário em Brasília. “Como o PSDB hoje tem muito espaço do governo, ao decidir romper, eles vão abrir esse espaço para negociação com outros grupos. Também acho que eles não vão 100% embora, então mesmo que façam essa opção, não é todo mundo que vai sair”.

Já as delações, por outro lado, podem complicar a vida de Temer. “A gente nunca sabe o que vai vir nas próximas delações, esse é o principal problema que o Brasil vive atualmente. Dificulta para empresas e governo fazerem previsões e traçarem planos, tanto de desenvolvimento quanto de investimento”, finalizou.