Deputado diz que PMDB só apoiará Daniel Vilela se ele limpar seu nome na Lava Jato

Para José Nelto, é responsabilidade do deputado federal provar que delações da Odebrecht não procedem. Caso não consiga, partido não pode apoiá-lo

O deputado estadual José Nelto (PMDB) afirmou, em entrevista ao Jornal Opção, que é do deputado federal Daniel Vilela (PMDB) a responsabilidade de limpar seu nome, citado nas delações da Odebrecht, se quiser ser realmente o candidato do partido em 2018. “Se não conseguir, não será candidato”, garantiu ele.

“Quem tem que resolver essa questão é ele com os advogados dele, nós não temos como, ninguém tem poder sobre a Operação Lava Jato. Torcemos para que ele resolva e viabilize sua candidatura, mas o partido não pode ir pro suicídio”, prosseguiu.

Dizendo desconhecer estrutura supostamente montada por Iris Rezende (PMDB) na Prefeitura de Goiânia para apoiar Ronaldo Caiado (DEM) no pleito de 2018, José Nelto disse que o nome oficial do PMDB é mesmo Daniel, a menos que ele não consiga se defender. “O candidato do PMDB hoje é o Daniel, agora, ele tem que se sustentar e se livrar da Lava Jato.”

Questionado sobre quais as alternativas caso Daniel seja realmente implicado na operação, José Nelto disse que a prioridade é que o candidato seja do próprio partido, mas ressaltou que isso não significa que a possibilidade de se aliar a outra legenda seja nula. “Temos a responsabilidade de não dividir a oposição para ser kamikaze, lançando um candidato contra tudo e contra todos. Oposição tem que ser unida e queremos saber quem vai pro enfrentamento, não podemos discriminar ninguém”, pontuou.

José Nelto disse ainda que a única certeza do PMDB é de que quem quiser apoiar o governador Marconi Perillo (PSDB) está fora do partido. Ele refutou a possibilidade de os dois partidos fazerem aliança e defendeu a saída rápida quem quiser aderir ao governo tucano.

Sobre as especulações em torno de seu próprio nome, José Nelto disse que está pronto para disputar o governo caso o partido entenda que ele é o melhor candidato em 2018. “Se o partido indicar meu nome e eu tiver apoio, estou preparado para o embate. Disputei e ganhei nove eleições, não tenho nenhum medo de enfrentar o candidato do Marconi e botar ordem no estado de Goiás.”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.