Segundo Coronel Adaílton, “esse dinheiro não é do Judiciário, do Executivo ou Legislativo”

Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

O projeto que trata da autorização do uso de 70% dos depósitos judiciais para pagamentos de precatórias, Previdência, e advogados dativos foi aprovado na última quinta, 5, no plenário da Assembleia, em primeira votação. O deputado Coronel Adaílton (PP), foi um dos que votou contrário a medida e explicou as razões.

“Na minha visão, sem pensar em explicações jurídicas, esse dinheiro não é do Judiciário, do Executivo ou Legislativo. É das partes que estão em litígio. Se elas não autorizarem, não pode utilizar”, justifica ele, que deve manter a mesma posição na próxima sessão.

E continua: “Se alguém ganha a causa, como o Estado vai devolver o dinheiro, se não está mais no fundo? Só se pagar com precatória, aí vai levar anos e anos…”

O pepista também falou acerca da PEC da Educação, que junta os 2% da Universidade Estadual de Goiás (UEG) aos 25% da Educação Básica, que deve entrar na pauta na próxima terça, 10. “A base parece não estar preparada para votá-la”, avaliou. “Ainda está cooptando outros deputados, e ainda falta o entendimento do governo com os professores”.