O deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) mencionou seis bolsonaristas que, segundo ele, estariam sujeitos a um processo de cassação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além dele próprio, o parlamentar citou três senadores, um colega deputado federal e o ex-presidente em questão.

Apesar disso, em resposta à coluna de Paulo Cappeli no portal Metrópoles, o parlamentar negou que teme perder seu mandato.

“Não temo. Eu só temo a Deus. Não temo decisões autoritárias. Vejo que em uma guerra você sofre injustiças do mal. E acredito que está no radar deles (TSE) cassar não só a mim, mas Moro, Magno Malta, Eduardo Bolsonaro, Flávio, o próprio Bolsonaro. Porque não temos uma Justiça pautada na Constituição e no correto. O que temos hoje é uma perseguição jurídica”, argumentou.

Se vier a ser cassado, Nikolas Ferreira afirmou que já tem planos. Segundo ele, faria trabalho de base pelo Brasil aumentando o número de palestras pelo país.

“Faria trabalho de base pelo Brasil inteiro, uma vez que minha agenda ficaria mais aberta. Continuaria dando minhas palestras, com mais frequência, acompanhando locais onde o PT tem maioria. Não é o cargo que me define. Tenho minhas bandeiras e acredito que iria continuar trabalhando pelo Brasil até que não ficasse mais inelegível (após 8 anos). Mas isso somente em hipótese de cassação. Não trato isso como realidade até então”, revelou.

Para Nikolas Ferreira, a cassação de Deltan Dallagnol trata-se de “anular a oposição”. Após a punição imposta pelo TSE a Dallagnol, o deputado expressou sua preocupação a colegas de partido sobre a possibilidade de ter seu mandato cassado. A informação foi revelada pelo colunista Igor Gadelha, do Metrópoles, que divulgou detalhes do desabafo feito por Nikolas durante uma reunião do PL.