Deputado acredita que financiamento coletivo de campanha ainda não funciona no país

A partir da próxima terça-feira (15), os pré-candidatos das eleições de 2018 poderão iniciar a propaganda de crowdfunding eleitoral

O deputado Francisco Junior | Foto: Reprodução

A partir da próxima terça-feira (15), os pré-candidatos das eleições de 2018 poderão iniciar a propaganda para financiamento coletivo de campanha, conhecido como crowdfunding eleitoral. No entanto, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estabeleceu que eles estão proibidos de pedir votos durante a divulgação dessa modalidade de arrecadação de recursos.

O deputado estadual Francisco Júnior (PSD), que, em 2016, foi o primeiro candidato candidato à Prefeitura de Goiânia a aderir à plataforma digital para financiamento coletivo de campanha, disse que, apesar de muito importante, a proposta ainda precisa de tempo para ser difundida no Brasil.

“É uma questão de cultura. Seria muito bom, mas vai levar um tempo para o brasileiro entender o financiamento da democracia”, disse ao Jornal Opção.

Segundo ele, todos os meios de arrecadação são válidos, desde que sejam feitos com transparência.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.