Eliane Pinheiro não considera nome do delegado Humberto Evangelista para o governo de Goiás nas eleições do ano que vem e endossa caminhada ao lado da base aliada

Deputada Eliane Pinheiro | Foto: Y. Maeda

A deputada estadual pelo PMN Eliane Pinheiro afastou, em recente entrevista ao Jornal Opção, a possibilidade do partido lançar o delegado da Polícia Federal, Humberto Evangelista, para o governo de Goiás no próximo ano.

À reportagem, a parlamentar endossou o nome do vice-governador José Eliton (PSDB) para suceder Marconi Perillo em 2018 e elogiou o trabalho que vem sendo realizado pelo governo de Goiás.

“José Eliton caminha ao lado do governador e participa de todas as decisões. Ele tem sim se aproximado dos prefeitos e todos o respeitam”, lembrou ao citar o programa pioneiro no Estado batizado de Goiás na Frente.

Eliane também ironizou as críticas da oposição quanto aos recursos introduzidos nos municípios por meio do programa e afirmou que os opositores estão se tornando “desmoralizantes”. “Os prefeitos estão mostrando a verdade e quem tem contribuído de fato com as cidades. Não existe nem projeto na oposição, apenas ataques infundados”, pontuou.

Impasse

A informação de que o PMN poderia optar por candidatura própria foi adiantada pela coluna Bastidores do Jornal Opção. Conforme noticiado, o partido decidiu abandonar o barco do senador Ronaldo Caiado (DEM), alegando que o mesmo está ou pode afundar brevemente.

A sigla, então, passaria a ter dois caminhos: lançar o nome do delegado Humberto Evangelista ou partir para a aliança com a base aliada. Eliane diz acreditar na segunda opção. “Não estou sabendo [sobre uma candidatura própria]. O presidente regional do partido possui posições que não comungo, mas o pensamento do comando nacional do PMN é outro”, sentenciou, acrescentando que não está em seus planos deixar a legenda.