Depois de cancelamento de Guedes, CCJ se recusa a falar com secretário previdenciário

Ministro adiou ida e enviou Rogério Marinho mas comissão suspendeu encontro e vota nova convocação do titular

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, teve sua audiência com a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara cancelada pelo presidente Felipe Francischini (PSL-PR). Ele seria ouvido na CCJ às 14h, desta terça-feira, 26, mas os deputados federais apresentaram um requerimento com a assinatura de 23 parlamentares, um a mais que o necessário, para convocar o ministro da Economia, Paulo Guedes (que adiou sua ida, nesta manhã), e suspender o encontro.

Às 16h, os deputados retornaram à CCJ em sessão extraordinária para votarem o requerimento de convocação de Guedes. A data marcada será na quarta-feira da próxima semana, 3, quando o relator da reforma deverá ser conhecido. Diferentemente do convite, a convocação exige o comparecimento obrigatório do ministro, sob pena de crime de responsabilidade.

A audiência de Guedes para explicar a reforma da Previdência estava prevista para a tarde, no entanto, durante a manhã, o ministro cancelou a ida.

Em nota oficial, Guedes informou que adiou a reunião e que só comparecerá à CCJ depois de a comissão escolher o relator da proposta. Em troca, o ministro tinha mandado o secretário especial de Previdência e Trabalho e técnicos da pasta para explicarem a reforma.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.