Denúncia detalha ameaças feitas por filho de Bolsonaro a jornalista: “Eu acabo com sua vida”

PGR encaminhou denúncia contra o deputado Eduardo Bolsonaro por suspostas ameaças feitas à jornalista Patrícia Lelis via aplicativo de mensagens 

Um dos prints anexados à denúncia | Foto: Reprodução

A Procuradora-geral da República, Raquel Dodge, apresentou denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do também deputado e pré-candidato a presidente da República, Jair Bolsonaro, por supostas denúncias feitas contra a jornalista Patrícia de Oliveira Souza Lélis.

No corpo da denúncia, a PGR anexou imagens de uma conversa entre o parlamentar e a jornalista pelo aplicativo Telegram. Pelos prints feitos por Patrícia e anexados à denúncia, é possível acompanhar o diálogo que aconteceu depois de Bolsonaro postar no Facebook que estaria namorando Patrícia e ela ter negado. Confira transcrição do diálogo abaixo.

“O denunciado era plenamente capaz à época dos fatos, tinha consciência da ilicitude e dele exigia-se conduta diversa. Relevante destacar que o denunciado teve a preocupação em não deixar rastro das ameaças dirigidas à vítima alterando a configuração padrão do aplicativo Telegram para que as mensagens fossem automaticamente destruídas após 5 (cinco) segundos depois de enviadas”, diz Dodge no documento encaminhado ao STF.

“A conduta ainda é especialmente valorada em razão de o acusado atribuir ofensas pessoais à vítima no intuito de desmoralizá-la, desqualificá-la intimida-la (‘otária’, ‘abusada’, ‘vai para o inferno’, ‘puta’ e ‘vagabunda’)”, complementa.

Segundo a PGR, o crime tem pena prevista de um ano e, caso não haja nenhuma condenação por outros crimes contra ele, Bolsonaro filho poderá, em substituição à prisão, indenizar a vítima em R$ 50 mil, pagar 25% do salário que recebe como parlamentar à uma instituição de atendimento a famílias e autores de violência doméstica por um ano, além de prestar 120 horas de serviço à comunidade.

A defesa de Eduardo Bolsonaro diz que “nunca houve nenhum tipo de ameaça feita por ele” e que vai provar a inocência do deputado.

BOLSONARO: “Sua otária! Quem você pensa que é? Tá se achando demais. Se você falar mais alguma coisa eu acabo com sua vida”

PATRICIA: “Isso é uma ameaça???”

BOLSONARO: “Entenda como quiser. Depois reclama que apanhou. Você merece mesmo. Abusada. Tinha que ter apanhado mais pra aprender a ficar calada. Mais uma palavra e eu acabo com você. Acabo mais ainda com a sua vida”

PATRICIA: “Eu estou gravando”

BOLSONARO: “Foda-se. Ninguém vai acreditar em você. Nunca acreditaram. Somos fortes”

PATRICIA: “Me aguarde pois vou falar”

BOLSONARO: “Vai para o inferno. Puta. Você vai se arrepender de ter nascido. O aviso está dado. Mais uma palavra e eu vou pessoalmente atrás de você. Não pode me envergonhar.

PATRICIA: “Tchau”

BOLSONARO: “Vagabunda”

PATRICIA: “Resolvemos na justiça. É a melhor forma”

BOLSONARO: “Enfia a justiça no cú”

 

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Luciano Almeida

Comprovada a veracidade da denúncia, o acusado deve ser condenado, é óbvio. Lamentavelmente, a pena para delito dessa natureza é insignificante, ridícula mesmo. A ameaça contra a vida de uma mulher deveria receber punição no mínimo equivalente àquela aplicada a traficantes de drogas, além de incluída na categoria de crimes hediondos. Talvez assim os covardes se abstivessem de cometer essa barbaridade. A falta de punição rigorosa às ameaças está por trás de tantas agressões e homicídios contra mulheres.

Bin Laden

Veridico,tanto que o whats vai se auto destruir em 5 segundos.