Demóstenes rebate Caiado: “Minha agonia está no fim, a dele apenas começando”

No novo texto, ex-senador sugeriu que o democrata irá perder, “nos dias próximos”, o mandato como senador e acrescentou que situação de ambos será resolvida na Justiça

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O procurador de Justiça afastado Demóstenes Torres emitiu, na tarde desta terça-feira (31/3), nota em resposta ao senador Ronaldo Caiado (DEM), após artigo do ex-senador publicado no jornal Diário da Manhã. No novo texto, Demóstenes sugere que o democrata irá perder, “nos dias próximos”, o mandato como senador.

Na “tréplica”, Demóstenes também rebateu as declarações de Caiado e alegou que o senador traz “pontos novos e inverídicos”. “[Ronaldo Caiado] reconheceu quase todos os fatos que apresentei, tentando lhes dar um ar de normalidade”, criticou.

Por fim, o ex-senador disse que, a partir de agora, será a Justiça que vai resolver a situação de ambos. “Reafirmo tudo o que disse. A minha agonia está no fim e a de Ronaldo Caiado apenas  se iniciando. Tenho dito”, finalizou.

Veja a íntegra da nota emitida por Demóstenes:

Ronaldo Caiado, à míngua de qualquer argumento, partiu para a adjetivação. Deu uma sapituca, reconheceu quase todos os fatos que apresentei, tentando lhes dar um ar de normalidade. Traz apenas três pontos novos e inverídicos: que eu tenha chorado perante ele e dispensado sua lealdade; que tenha Eurípedes Barsanulfo contido o então diretor-Geral da Polícia Civil, Marcos Martins, em uma suposta invasão do meu gabinete na Secretaria de Segurança Pública; e que o meu suplente de senador José Eduardo Fleury tenha tentado me chantagear. Quanto ao primeiro, ninguém jamais me verá nessas condições.  Além do quê, Caiado acredita que o sentimento de lealdade é apenas uma doença de cachorro. No segundo, ainda que fosse verdade, o que nego, nunca pedi para que  comprassem minhas brigas. Sempre fui homem o suficiente para enfrentar os meus próprios desafios. O terceiro é apenas mais uma da safra caiadista de invencionices. José Eduardo Fleury foi um suplente honesto e dedicado, a quem sempre respeitei.

O senador comete um ato falho. Eu jamais disse que  Agripino Maia teve qualquer esquema com o Detran. Ou teve, Caiado? Sua mitomania  atravessa todas as frases e se consubstancia na afirmação de que os integrantes da CPI ouviram 250 mil horas de gravações e o inocentaram. Isso seria o equivalente a passar mais de 28 anos ouvindo, 24 horas por dia, todos os grampos da Operação Monte Carlo. É apenas mais uma fantasia construída para dar ar de veracidade à personagem que o senador canastrão representa.

Essa madrugada fez Ronaldo perder a voz, mas o decorrer dos dias próximos o fará perder o mandato. Não adianta grunhir porque se gritaria resultasse em algo, os porcos não morreriam daquela forma. E repito: comigo é nos termos que já propus, exceto em uma disputa intelectual, porque cérebro Caiado não possui. Aguarde. Quem viver, verá.

A partir de agora a Justiça vai resolver a minha situação e a dele. Reafirmo tudo o que disse. A minha agonia está no fim e a de Ronaldo Caiado apenas  se iniciando. Tenho dito.

Demóstenes Torres

Em resposta, Caiado também enviou uma nota: “Prefiro combater em vez de bater boca com bandido. Essa ameaça de perder o meu mandato só se concretizaria se o plenário julgador fosse o antigo Cepaigo, onde Demóstenes Torres é seu forte porta-voz.”

2
Deixe um comentário

1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Caio Maior

A Justiça é a instância adequada à solução deste conflito. O texto eivado de denúncias exige que a verdade (aquela que pode ser provada) transpareça com todas as suas consequências, a bem da legalidade e da democracia.

Fábio Borges

Que a verdade venha a tona, pois é dela, somente dela, que o país inteiro carece. Que vire moda as denúncias contra as velhas raposas e também contra os seus filhotes, que se quebrem os ciclos corruptos, que estragam a nossa sociedade e jogama nossa nação em um abismo cada vez mais profundo.