Demanda por leitos de UTI reduz um terço em relação a março

Quantitativo de solicitações mostra que 91 pessoas ainda aguardam na fila de espera por uma unidade de UTI e 97 por enfermaria

Leito de UTI do município de Porangatu, em Goiás. | Foto: Casa Civil de Goiás/Reprodução

Atualização realizada no último domingo, 11, no quantitativo de solicitações de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria voltados ao tratamento da Covid-19 mostram redução de fila de espera. No momento, 91 pessoas aguardam por unidades de UTI e 97 por enfermaria.

Ao detalhar esses dados de abrangência estadual, tem-se 90 solicitações por leitos de UTI Adulto, 1 para UTI Pediátrica, 92 para Enfermaria Adulto e 5 para Enfermaria Pediátrica. Mesmo com um número ainda significativo, a redução de demanda por leitos é visível quando comparado ao quantitativo de solicitações de março de 2021, que no dia 18 registrou demanda de 375 pessoas pela UTI Adulto, 270 pela Enfermaria Adulto e 7 na Enfermaria Pediátrica.

Em conversa com o Jornal Opção, ao fim das duas semanas de suspensão das atividades consideradas não essenciais, previstas no modelo 14 por 14 do decreto publicado pela Prefeitura de Goiânia, a superintendente de Vigilância em Saúde, Flúvia Amorim, já havia previsto tal cenário. Na ocasião, ela explicou que a redução tem relação direta com o isolamento previsto em decreto e com o avanço da vacinação no estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.