Delegado e agentes da Polícia Civil são demitidos por se apropriarem de TVs roubadas

Os profissionais foram acusados pelos crimes de peculato e prevaricação

O delegado Alessandro Tadeu Carvalho Lopes e outros três agentes da Polícia Civil foram demitidos da corporação por tentarem se apropriar de 49 aparelhos de televisão oriundos de uma carga roubada. Em depoimento, os profissionais assumiram a responsabilidade pelo crime contra a administração pública, sendo acusados por peculato e prevaricação.

Conforme documentos fornecidos pela Polícia Civil ao Jornal Opção Online, no dia 15 de junho de 2012, o policial Mauro Sérgio Batista recebeu a informação a respeito de uma carga de televisores roubados, que estaria localizada na Chácara Glamour, na Serra das Areias, em Aparecida de Goiânia. No local, os policiais encontraram 390 aparelhos provenientes do Estado de Tocantins. Diante da constatação do crime, os agentes efetuaram prisões de seis pessoas, que foram conduzidas à presença do delegado Alessandro, que só registrou o auto de prisão em flagrante no dia seguinte.

Os envolvidos não providenciaram a contagem dos aparelhos no local, o que, conforme a acusação, demonstraria “a má-fé dos policiais, já que eles tinham a intenção de se apropriar de parte da carga de televisores”.

Os 49 aparelhos foram encontrados no dia 26 de junho de 2012 em posse do comerciante Luiz Carlos de Albuquerque, que foi preso em flagrante por receptação. Durante interrogatório, o profissional afirmou que, a pedido do agente Júlio César de Freitas Nunes, realizou o transporte dos televisores e depositando-os em um cômodo de seu comércio.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.