Delegada desmente advogado do Nexus: “Não fui pressionada, há provas de fraude”

Lara Menezes afirmou ter firmeza em seu relatório e negou ter “pedido desculpas” por indiciar responsáveis por irregularidades na obra

Depois de ter sido acusada pelo advogado do Nexus Shopping & Business, Felipe Melazzo, de ter indiciado os responsáveis pela obra por “pressão do Jornal Opção”, a delegada-adjunta da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), Lara Menezes, rebateu as afirmações. “Tenho muita firmeza no meu relatório, até porque ele é baseado em provas”, afirmou.

Em audiência para debater a obra na Câmara Municipal, Felipe não só disse que ela havia sido pressionada pelo Jornal Opção como também afirmou que a delegada teria lhe pedido “desculpas” pelo indiciamento. “Por que eu deveria pedir desculpas para ele? Isso é conversa de advogado para desmerecer o trabalho da polícia”, ironizou ela.

Segundo a delegada, ele realmente esteve na delegacia, mas esse teórico pedido de desculpas é mentira. Ela também contestou as afirmações de que teria sido “influenciada” na composição do relatório. “O interesse do jornal é próprio da atividade do jornalista, visando noticiar os fatos que geram interesse para a sociedade. Em momento algum eu me senti pressionada por parte nenhuma, muito menos pela advocacia ou pela própria empresa”, finalizou.

Entenda o caso

Em julho, perícia grafotécnica da Polícia Científica do Estado de Goiás constatou que  houve sim falsificação nas assinaturas contidas no Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) do empreendimento. Segundo o relatório, realizado por peritos e que analisou todas as 278 fichas de entrevistas que teriam sido feitas com moradores da região, há pelo menos 37 comprovadamente assinadas por uma única pessoa.

Com o resultado, a delegada indiciou todos os responsáveis tanto pelo estudo quanto pela obra por elaborar ou apresentar, no licenciamento, concessão florestal ou qualquer outro procedimento administrativo, estudo, laudo ou relatório ambiental total ou parcialmente falso ou enganoso, inclusive por omissão, previso no artigo 69-A da Lei 9.608.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.