Delator da Lava Jato ligado à Odebrecht é encontrado morto no Rio de Janeiro

Valladares confessou ter repassado R$ 50 milhões para o deputado Aécio Neves (PSDB) por meio de depósitos em contas no exterior. Causa da morte não foi divulgada

Foto: Reprodução/Internet

Um dos delatores da Operação Lava Jato, Henrique Valladares, foi encontrado morto na última terça-feira, 17, em sua residência no Rio de Janeiro. O executivo ocupou a vice-presidência do grupo Odebrecht e delatou repasses milionários em esquema de corrupção.

Dentre eles, Valladares confessou ter repassado R$ 50 milhões para o deputado Aécio Neves (PSDB) por meio de depósitos em contas no exterior.

Ele também citou, em depoimento, ter sido cobrado por Edison Lobão quando o então ministro da petista Dilma Rousseff estava internado na UTI. Valladares também delatou lideranças indígenas e membros da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Segundo informações do jornal O Globo, no caso dos índios, quem recebia era o chefe da tribo. “Esse cara se tornou até meu amigo, tenho até um cocar la em casa. O chefe da tribo lá é o Antenor Karitario. Pagava para ele R$ 5 mil por mês, depositado na conta da esposa. E mais de R$ 2 mil para o Orlando que deve ser outro cacique lá da tribo”, disse à epoca.

A causa da morte do executivo ainda não foi divulgada pela perícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.