Delatado esquema de propina nas eleições de 2014 no Tocantins

Empreiteiro revela, em delação premiada, o repasse de propina ao ex-governador Sandoval Cardoso e ao deputado Eduardo Siqueira Campos

O empreiteiro Rossine Aires Guimarães revelou ao Ministério Público Federal que os R$ 6 milhões que recebeu por uma obra não executada foram divididos entre vários políticos do Tocantins, antes do pleito eleitoral de 2014. Ele citou, em delação premiada, homologada pelo Supremo Tribunal Federal, que parte do dinheiro foi repassado para a campanha do ex-governador Sandoval Cardoso (SD).

Nesta sexta-feira, 25, o Ministério Público Federal do Tocantins apresentou uma denúncia contra oito empreiteiros do estado por formação de cartel e fraude em licitação. Durante a delação o empreiteiro foi questionado sobre fraudes em medições para justificar o pagamento recebido.

Rossine Aires disse que a autorização para o pagamento foi dada pelo o ex-secretário do governo de Sandoval Cardoso, Alvicto Nogueira, o Kaká Nogueira. “Ele mandou medir e pagar falou que precisava do dinheiro rápido porque as outras obras não tinham iniciado. Queria dinheiro né? Ele mandou medir e pagar, mas é logo em seguida eu fui lá. E quando eu comecei receber dinheiro de outras obras tudo, eu fui lá e executei os serviços. O serviço tá executado há mais de dois anos, mas na época o serviço não foi executado.”

Segundo o Ministério Público Federal, as informações estão acompanhadas de provas que confirmam o que ele falou. Até agora duas denúncias foram protocoladas na Justiça Federal. Segundo a Polícia Federal e o Ministério Público, existem provas de desvios que passam de R$ 225 milhões.

“O chefe do esquema era Eduardo Siqueira Campos e Sandoval Cardoso, e o operador financeiro era Alvicto [Kaká Nogueira]. Ele selecionava os membros da comissão e os membros da comissão atendiam suas determinações para dividir as obras, realmente a comissão auxiliava ele. O Alvicto pagava os aditivos fraudulentos e mandar pagar o serviço superfaturado. Ele exigia, recebia e repassava propina para Sandoval e Eduardo Siqueira. Os empresários auxiliavam e aderiam a essas propostas”, explicou o procurador José Ricardo Teixeira.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.