Déficit de vagas na educação infantil é muito maior que o divulgado, diz vereadora

Segundo Sabrina Garcêz, a demanda não atendida de 19 mil crianças, divulgada pela prefeitura, não leva em conta “déficit fantasma”

Vereadora Sabrina Garcêz, em entrevista ao Jornal Opção | Foto: Fernando Leite

A prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME) divulgou esta semana que, atualmente, o déficit de vagas na educação infantil é de 18.911. Segundo levantamento de dados colhidos no dia 2 de janeiro de 2017, a maior demanda é para crianças de 0 a 3 anos — 15.453 esperam por uma vaga. Entre as crianças de 4 a 5 anos, são 3.428 na fila de espera.

Porém, este número pode ser muito maior, alerta a vereadora Sabrina Garcêz (PMB), pois considera apenas a demanda manifesta, ou seja, de pais e responsáveis que procuram a secretaria. “O que mais me preocupa  é que, além desse déficit reconhecido pela prefeitura, temos também o ‘déficit invisível’, que são aquelas pessoas que sequer procuram a secretaria porque sabem que não vão resolver o problema. Esse número é muito maior”, afirma.

A educação infantil em Goiânia sofre não apenas com a falta de vagas,  mas também com precariedade da merenda, também já denunciada por vereadores, e imbróglio pela suposta falta de repasse para as entidades filantrópicas conveniadas à prefeitura que mantém creches na capital, além de dezenas de obras de Cmeis paradas.

Para a vereadora do PMB, a situação atinge principalmente as mães que são chefes de família. “Hoje, 45% dos lares são chefiados exclusivamente por mulheres e essas mães ficam totalmente desamparadas, o que gera a situação das creches residenciais e de crianças sendo deixadas sozinhas em casa”, ponderou.

Além disso, ela cobrou da administração municipal medidas urgentes para sanar a situação da educação infantil. “O prefeito Iris Rezende assumiu prometendo fazer a melhor gestão da sua vida, mas não consegue dar resposta para questões pontuais e primárias como educação e saúde. Faltam medidas, falta inovação, faltam novas propostas para resolver problemas antigos”, criticou a parlamentar.

No último dia 12 de abril, o secretário de Educação Marcelo de Castro prometeu que até julho deste ano serão criadas 8 mil novas vagas com a implantação do Programa Bolsa Infância de auxílio para que crianças possam ser matriculadas em entidades particulares e de salas modulares em Cmeis já em funcionamento.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.