Ex-deputado federal Alexandre Baldy (PP) foi solto por determinação do ministro Gilmar Mendes na sexta, 7. Advogado de Lousa aguarda decisão

Rafael Lousa | Foto: Bruna Aidar/ Jornal Opção

A defesa de Rafael Lousa (PSDB) entrou com um pedido neste sábado, 8, junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para a soltura dele. O ex-presidente da Junta Comercial de Goiás (Juceg) está preso desde quinta-feira, 6, por decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

O advogado de Lousa, Tadeu Bastos, argumenta que não há necessidade de prisão para prestar depoimentos. Além disso, não há contemporaneidade dos fatos para que seja necessária o encarceramento. A defesa ainda aguarda a decisão.

Lousa foi preso na Operação Dardanários, desdobramento da Lava Jato, que investiga esquema de direcionamentos de contratos da Junta Comercial e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), através da Fundação de Apoio Fiotec.

Na noite de sexta, 7, o ex-deputado federal Alexandre Baldy (PP) foi solto por determinação do ministro Gilmar Mendes. Ele também foi detido na operação por supostamente ter recebido propina para intermediar pagamentos entre o governo de Goiás, entre 2010 e 2014, e organização social que geria o Hospital de Urgências da Região Sudoes (Hurso).