Defesa diz que dinheiro encontrado em operação não tem relação com Marconi

Kakay afirma que medida de busca e apreensão “não preocupa em absolutamente nada em relação ao conteúdo que foi apreendido”

Kakay | Foto: Divulgação

A defesa do candidato ao Senado, o ex-governador Marconi Perillo (PSDB), alega que o dinheiro encontrado durante a operação Cash Delivery na última semana não possui qualquer relação com o tucano e não pode incriminá-lo.

Em entrevista, o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, diz que a medida de busca e apreensão “não preocupa em absolutamente nada em relação ao conteúdo que foi apreendido”.

Ele revela que foram apreendidos o celular pessoal do ex-governador, o celular pessoal da esposa dele e o computador da filha. “Enfim, nada que preocupe, mas que evidencia os abusos por parte desta operação”, diz.

O advogado afirma, ainda, que a ação, a dias da eleição, é uma irresponsabilidade e que “não há nenhum sentido em falar em medida restritiva após as eleições”. “Há anos venho falando sobre a criminalização da política e sobre a espetacularização do direito penal. Fazer uma operação policial, a 8 dias das eleições, tendo como base uma delação premiada de anos atrás, já conhecida de todos, e que tratam de fatos supostamente ocorridos em 2010 e 2014, é um acinte, quase uma leviandade”, alega.

“A investigação continuará e nós somos os maiores interessados na investigação. Continuamos à disposição do Poder Judiciário. O governador Marconi ao longo da sua longa vida pública sempre se pautou pela postura absolutamente clara e de respeito às balizas democráticas”, finaliza o advogado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.