Defesa de médico envolvido na Operação SOS Samu pede revogação de prisão

De acordo com advogado, Maurício Batista Leitão não está foragido e irá se apresentar às autoridades

Ambulâncias do Samu de Goiânia | Foto: Alexandre Parrode

A defesa do médico Maurício Batista Leitão, investigado pela Operação SOS Samu do Ministério Público de Goiás (MP-GO) informou ao Jornal Opção que vai pedir a revogação do mandato de prisão do réu.

Maurício era o médico regulador no Samu e sócio do Instituto Goiano de Terapia Intensiva (Saúde Total Limitada). Ele é suspeito de integrar esquema de encaminhamento irregular de pacientes para UTIs privadas em Goiânia por meio de propina. O pedido de prisão do médico foi decretado nesta terça-feira (3/4).

À reportagem, o advogado do investigado também informou que o cliente não está foragido, conforme aponta a Justiça. Está em casa e irá se apresentar às autoridades, logo que for notificado.

Deflagrada em 2016, a Operação SOS Samu investigou 31 pessoas envolvidas e denunciadas por corrupção passiva e ativa. Entre os denunciados estão outros médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, motoristas de ambulância, bombeiros e administradores de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.