Defensoria recomenda que Seduc crie kits de alimentos para alunos da rede pública

Segundo DPE-GO, merenda escolar é a principal refeição de muitos alunos da rede pública. Por isso, alunos estariam mais vulneráveis à infecção por coronavírus se não tiverem alimentação adequada

Professora em rede pública de Aparecida de Goiânia | Foto: Claudivino Antunes

Uma recomendação da Defensoria Pública do Estado de Goiás (DPE-GO) à Secretara de Estado da Educação (Seduc) determina que sejam doados, durante o período de isolamento social para controle da pandemia de coronavírus, kits de alimentos às famílias de alunos da rede pública de ensino. Deverão ser priorizados os que se encontram em situação de vulnerabilidade econômica. Caso hajam kits excedentes, as demais famílias também poderão ser beneficiadas.

Os defensores públicos Ana Carolina Leal de Oliveira e Daniel Ruybal enviaram a recomendação à pasta com a justificativa de que alunos da rede pública podem ser mais facilmente expostos à contaminação pelo coronavírus, caso sejam colocados em uma situação de vulnerabilidade social e econômica que os impeçam de ter alimentação adequada. Até mesmo, porque a merenda escolar é a principal refeição de muitos alunos da rede pública.

Os kits ainda eram liberados até a última semana, mas a distribuição foi interrompidos a partir desta segunda, 23. Com isso, a DPE-GO recomendou a interrupção dos contratos com fornecedores da merenda escolar durante a paralisação das aulas e pediu para que os alimentos sejam transformados em kits individuais para doação, mediante agendamento às famílias de alunos matriculados regularmente.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.