Decreto de Goiânia não permitirá aula presencial na rede pública

Decisão foi tomada na manhã desta sexta-feira, 26, e deve ser anunciada até o final do dia pelo prefeito Rogério Cruz (Republicanos) junto com todos os detalhes do novo decreto

Escola vazia | Foto: Divulgação

Durante reunião na manhã desta sexta-feira, 26, entre o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) e secretários para debater os detalhes do novo decreto de enfrentamento à Covid-19, uma decisão já foi tomada: não será permitida a volta às aulas de maneira presencial na rede pública da capital.

No entanto,a reportagem apurou que as instituições privadas poderão ter o retorno das atividades obedecendo aos critérios que serão definidos no decreto. O anúncio será feito pelo prefeito Rogério Cruz até o final do dia.

Em entrevista coletiva, o secretário de Saúde, Durval Fonseca admitiu que a possibilidade de retorno presencial às aulas era discutido. “Existem propostas para o funcionamento de escolas, tudo isso está sendo avaliado do ponto de vista de garantir a segurança no fechamento e no acesso ás pessoas”, despistou.

Rede pública x Rede privada

Sabrina Garcêz | Foto: Augusto Diniz/Jornal Opção

A vereadora Sabrina Garcez (PSD) é defensora da retomada das atividades na rede privada, mas acredita que ainda não é momento de autorizar aulas presenciais na rede pública devido às diferenças nas estruturas de escolas públicas e particulares.

“As condições são completamente diferentes, inclusive de espaço e de organização. A rede privada também tem uma quantidade de alunos bem menos, o que possibilitaria essa retomada”, avalia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.