Decotelli mente sobre pós-doutorado e governo adia posse de novo ministro da Educação

Desde que foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro como novo ministro da Educação, foram apontados plágios na defesa de mestrado de Decotelli, não conclusão de doutorado e inexistência de título de pós-doutorado

Carlos Decotelli da Silva vai assumir a Ministério da Educação | Foto Divulgação

Após diversas polêmicas envolvendo o currículo do ministro nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro à Educação, Carlos Decotelli, o governo decidiu adiar a posse. Não há, ainda, data prevista para ocorrer. A mais recente controvérsia, foi em relação ao pós-doutorado de Decotelli na Alemanha.

De acordo com a Universidade de Wuppertal, que consta no currículo do ministro como local onde realizou seu pós-doc entre os anos de 2015 e 2017, a instituição afirmou: “Carlos Decotelli veio para a cadeira da profa. Dra Brigitte Wolf para uma pesquisa de três meses em 2 de janeiro de 2016. Até 2017 ela era professora de teoria do design, com foco em metodologia, planejamento e estratégia na Universidade de Wuppertal e agora é emérita. Ele não adquiriu nenhum título em nossa universidade. A Universidade de Wuppertal não pode fazer nenhuma declaração sobre títulos obtidos no Brasil”.


Antes disso, o reitor da Universidade de Rosário, na Argentina, Franco Bartolacci, negou que ele tenha obtido título de doutor na instituição, já que ele teve sua tese de doutorado reprovada. Não suficiente, o professor do Insper, Thomas Conti, apontou plágios na defesa de mestrado de Decotelli. O governo pretende revisar o currículo de Decotelli antes de empossar como ministro da Educação. Mentir no currículo Lattes não é tipificado como crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.