Debates a favor e contra a vacinação para combate a Covid-19 tomam conta do Pequeno Expediente da Câmara Municipal

Enquanto a vereadora Gabriela Rodart (DC) discursou contra a obrigatoriedade da vacinação em caráter emergencial, Mauro Rubem (PT) defendeu a imunização e demais protocolos de combate ao coronavírus

Vereadores Gabriela Rodart (DC) e Mauro Rubem (PT) | Foto: Transmissão ao vivo/Youtube

Durante pequeno expediente, na manhã desta terça-feira, 31, após a vereadora Gabriela Rodart (DC) novamente se posicionar contra a obrigatoriedade da vacinação em caráter emergencial, o parlamentar Mauro Rubem defendeu a necessidade da imunização contra a Covid-19, o uso de máscaras e demais protocolos contra a doença.

Rodart iniciou seu discurso relatando ataques que teria sofrido nas redes sociais, após declarações realizadas em plenário na última semana. Na ocasião, a parlamentar teria comparado a obrigatoriedade da imunização e da utilização de protocolos de combate ao coronavírus à ditadura nazista. Em resposta aos ataques, Gabriela afirma que entrará na Justiça.

“Fui alvo de alguns ataques, mas não irei abaixar a cabeça. Nossa assessoria é muito motivada em saber a origem desses ataques, então entraremos com medidas judiciais necessárias, para que as pessoas que estão atacando minha honra sejam responsabilizadas”, afirma.

Após negar ser negacionista e antivacinas, vereadora também se colocou contra os imunizantes atualmente oferecidos para o combate da Covid-19 no Brasil e em Goiás, utilizando de depoimentos de pessoas em que familiares vieram a óbito mesmo após a aplicação das duas doses. O vereador Mauro Rubem, no entanto, considerou inadmissível o discurso que coloca em descrédito as medidas de combate ao coronavírus.

“A vacina não é uma opção individual, é coletiva. Quem não quiser se vacinar, deve se isolar do restante da sociedade. Esse é um entendimento que no início do século nós já tínhamos”, pontuou. O parlamentar ainda passou um vídeo do neurocirurgião Miguel Nicolelis, em que o profissional pediu atenção em relação à terceira onda da Covid-19.

 “Estamos entrando em outra fase crítica. A variante Delta é uma modificação mais grave do vírus. Ela está se espalhando numa velocidade impressionante. Vocês tem que ver a situação de Israel e Estados Unidos, mesmo com quase toda a população vacinada, não conseguiram conter”, disse o neurologista. O que se precisa ter cuidado, para o vereador Mauro Rubem, é a sensação de controle da pandemia que prevalece e faz com que as pessoas não priorizem o uso de máscara e demais cuidados.

“Está sendo cometido um crime por interesses políticos, colocando a vida das pessoas em segundo plano. Isso provoca uma impossibilidade de vencermos essa pandemia, e a Câmara Municipal não pode ser alheia a isso”, opinou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.