De saída do PV, vereadores miram MDB e PSD para viabilizar candidaturas

Gustavo Cruvinel e Álvaro da Universo teriam sido “convidados” pelo presidente estadual da sigla a deixarem o partido

Gustavo Cruvinel à esquerda e Álvaro da Universo à direita | Imagens: Fernando Leite / Jornal Opção

Os vereadores Gustavo Cruvinel e Álvaro da Universo, ambos do PV, estudam novos caminhos após sinalização de que suas candidaturas talvez não sejam viáveis dentro da atual sigla. O primeiro pode ingressar no PSD em sintonia com o senador Vanderlan Cardoso, que atualmente está no PP, mas de malas prontas para ingressar na legenda de Vilmar Rocha. A chegada de Vanderlan na disputa pode enfraquecer um movimento de debandada de vereadores para o MDB que ,apesar disso, segue no radar de muitos  parlamentares.

Gustavo disse ao Jornal Opção que hoje está no PV, mas relatou um encontro que teve com o presidente do partido em Goiás, Cristiano de Moraes Cunha. “Ele se mostrou preocupado com dois vereadores dentro do partido, eu e o Álvaro. E pediu que nós dois liberássemos o partido para que ele conseguisse montar a chapa”, afirma Cruvinel. De acordo com o parlamentar, essa situação segue em negociação.

Sobre uma nova legenda, Gustavo reconhece que o MDB é um caminho extremamente viável já que ele é um vereador da base do prefeito Iris Rezende (MDB). “Mas também tenho conversado com o PSD e com o DEM. Com certeza, caso eu saia do PV, trilharei um destes caminhos: DEM, MDB ou PSD”, completa.

A chegada de Vanderlan no PSD, é apontada por Cruvinel e outros vereadores como um fator novo a ser considerado no momento da escolha de uma nova legenda. “Tenho uma amizade com o Vanderlan e apoiamos ele na candidatura à prefeito, assim como tenho uma amizade com o Vilmar Rocha. Me sinto em casa indo para o PSD também”, avalia.

Outro consenso entre os vereadores é que o ponto principal para definir as próximas etapas do jogo político na capital está nas mãos de Iris. “O prefeito precisa dizer se realmente é candidato, porque ele é o ponto principal para a aglutinação e composição de uma chapa forte. Ele também precisa incentivar as candidaturas, não adianta ir só candidatos de grande votação e fazer poucos vereadores”, arremata Gustavo, ao ponderar que grandes nomes devem ficar sem mandato nestas eleições.

Para Álvaro da Universo, sua saída do PV se tornará realidade apenas caso seja necessário, por isso ele aguarda uma definição do partido e viabilidade de formação de uma chapa. Sobre uma possível ida para o MDB, o parlamentar disse que não conversou com o partido, embora já tenha tido algumas conversas com outras siglas. Assim como alguns colegas, Álvaro vê que o aceno de Iris será fundamental para que os vereadores definam um novo partido. “Os vereadores precisam estudar com cautela para onde vão. Até porque com a mudança das regras eleitorais teremos uma eleição será diferente, é dentro do partido que você está competindo”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.