Adversários afirmaram que ficaram “surpresos” ao serem convocados para eleição do diretório da sigla que aconteceria próximo sábado, 19

Daniel Vilela (MDB), candidato a governador e deputado federal | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O deputado federal Daniel Vilela (MDB) disse em entrevista ao Jornal Opção,na tarde desta quarta-feira, 16, que vai recorrer de imediato sobre a decisão da Justiça em suspender a eleição do diretório estadual do MDB, marcada para sábado, 19. Quem solicitou a liminar foi o prefeito de Catalão, Adib Elias.

O juiz Sandro Cássio de Melo Fagundes, da 28ª Vara Cível de Goiânia, que acatou o pedido feito por Adib, afirmou que, em caso de descumprimento, a decisão estabelece multa de R$ 500 mil.

Daniel alega, porém, que a votação por um novo diretório é necessária porque o mandato atual se encerra em 5 de fevereiro e reforçou que vai recorrer ainda nesta quarta-feira, 16, contra a decisão.

“Vou convocar uma reunião com a executiva do MDB em Goiás para discutir sobre situação, e se por acaso o recurso não for aceito, vou propor as eleições para daqui 15 dias”, revelou o atual presidente do partido.

Além disso, Daniel afirma que o juiz juntou os detalhamentos do estatuto, percebeu e disse que a data da eleição obedeceu todos prazos regimentais. “Mas ele ignorou elementos juntados pelo diretório como, por exemplo, que primeiro vem a votação para chapas e depois para presidente”, destacou.

Já o prefeito de Catalão afirmou que não acredita que o deputado terá êxito no recurso e que vai propor o prazo de 45 dias para a eleição. “Não tem como marcar uma eleição de uma partido de uma hora para outra. Precisamos de tempo para formamos nossas chapas, debatermos e chegarmos na melhor a escolha. Respeito muito o Daniel Vilela, mas acho que política não pode ser feita assim”, disse Adib.