Daniel Vilela quer Vanderlan no PMDB, mas avalia que momento é de construir alianças

Ao Jornal Opção Online, o deputado afirmou que não existe divisão dentro da sigla, apenas “diversas articulações”

Após declaração do ex-prefeito de Senador Canedo, Vanderlan Cardoso (PSB), de que Daniel Vilela (PMDB) é o candidato do ex-prefeito de Senador Canedo para o governo de Goiás em 2018, o peemedebista sinalizou positivamente para a possível e aventada ida de Vanderlan para o PMDB. O deputado, no entanto, assevera que é o momento é de buscar alianças.

Com uma ala da legenda que defende o nome de Iris Rezende para prefeito de Goiânia e Ronaldo Caiado (DEM) para o governo em 2018, e outro grupo que lembra do nome de Daniel Vilela, PMDB tem se reunido constantemente nos últimos dias. Daniel Vilela disse ao Jornal Opção Online que não existe divisão dentro da sigla, apenas diversas articulações.

Lembrado das declarações de Júnior Friboi quanto à pretensão de ter Vanderlan de volta ao PMDB, Daniel explicou que também gostaria de ver o ex-prefeito na legenda. “O partido está de portas abertas para ele”, disse. Entretanto, o parlamentar destaca que o momento é buscar alianças com partidos. “Os nomes vem afunilando ao longo do ano”, explicou.

O deputado analisa que não pode-se elaborar alianças e afirmações em cima de suposições. “Vanderlan nem falou que vem pro PMDB ou se vai ser candidato a prefeitura em 2016.”

Daniel ainda lembrou que a reforma política debatida na Câmara Federal deve ser aprovada antes de setembro, prazo final para candidato mudar de legenda. Se assim o for, a desfiliação partidária poderá ser feita até seis meses antes das eleições.

Frisando que ainda é muito cedo para falar em nomes específicos para as próximas eleições, o deputado federal argumentou que já conversou com Caiado por telefone duas vezes, e que em breve se encontrarão. “Ninguém está se tratando de projeto objetivamente. Não é o momento adequado para isso”, sustentou.

Daniel garante que tem tido boa relação com Caiado, assim como com o PT. O peemedebista acredita que a preocupação deve ser unir a oposição. “Os melhores candidatos serão identificados. Político não é bobo, todo mundo sabe quais são os melhores perfis para disputar. Temos que estar desprovidos de vaidade”, salientou, sem, entretanto, citar nomes.

“Não sou candidato em 2016”

Daniel Vilela garantiu ainda que por enquanto deve exercer o cargo para o qual foi eleito, representando os municípios que o escolheram. Sendo assim, não será candidato em 2016. “Meu compromisso é ser deputado federal”, alegou.

Do mesmo modo que Caiado, outro nome citado como possível candidato ao governo, o deputado não descartou também uma candidatura em 2018, mas afirmou que tudo ainda será discutido. “Não vamos atropelar”, pediu.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.