Daniel Vilela oficializa candidatura à presidência do PMDB e rebate críticas de José Nelto

Deputado federal direcionou falas ao principal concorrente, que ocupa vaga na Assembleia. “Brasília fica no meio de Goiás. Não há que se falar em falta de tempo.”

Daniel Vilela e José Nelto concorrem a diretório estadual | Fotos: Renan Accioly/Jornal Opção e Marcos Kennedy/Assembleia

Daniel Vilela e José Nelto concorrem a diretório estadual | Fotos: Renan Accioly/Jornal Opção e Marcos Kennedy/Assembleia

Ao oficializar sua candidatura à presidência do diretório goiano do PMDB, para os próximos dois anos, o deputado federal Daniel Vilela rebateu as críticas do principal concorrente, o deputado estadual José Nelto. O anúncio foi feito durante reunião da executiva do partido, na noite de segunda-feira (22).

Ao contrário do que alega o colega, o congressista diz que terá tempo sim de se dedicar às bases eleitorais para a disputa de 2016, especialmente pela proximidade entre Goiânia, sede do diretório, e Brasília, onde cumpre mandato federal.

“As sessões da Câmara dos Deputados são praticamente nos mesmos dias e horários das da Assembleia [onde Nelto cumpre mandato]. E Brasília fica no meio de Goiás. Não há que se falar em falta de tempo. Até porque já usamos os finais de semana para rodar o estado para ouvir os companheiros e foi daí que vimos a necessidade de concorrer à presidência do diretório”, se defendeu.

Na edição 2094, na coluna Bastidores, Nelto relatou ao Jornal Opção que nada tem contra a postulação. “Mas precisamos fazer oposição de fato, firme e consistente. Não somos uma linha auxiliar do tucanato.” Ele previu que, se pretende disputar o governo de Goiás em 2018, como vem anunciando, Daniel não precisa enfrentar o desgaste de ser presidente do partido. “Seria mais adequado apoiar um presidente que monte uma agenda positiva para ele. Para um deputado federal, que precisa ficar pelo menos três dias em Brasília, é muito difícil dirigir um partido grande como o PMDB.”

Nelto e outros integrantes do grupo ligado ao ex-prefeito e governador Iris Rezende apontam que Daniel não terá tempo de organizar o partido pela agenda que tem na capital federal.

Apesar de ter defendido que sua sigla concentre forças para angariar vagas em Câmara de Vereadores e prefeituras no ano que vem, o deputado federal relatou à executiva que está pronto para o embate de ideias em prol da legenda e de Goiás.

“Estou convicto de que temos bom projeto para o partido e consequentemente para o Estado. Se for o caso de haver disputa, será salutar. Mostra o vigor do PMDB em Goiás e é a oportunidade de movimentar ainda mais e engajar companheiros na discussão de um projeto consistente para os municípios e o Estado. Podemos fazer isso mantendo o alto nível da discussão”, avaliou o candidato. Filho de do ex-senador e ex-governador Maguito Vilela, atual prefeito de Aparecida de Goiânia, o jovem é um dos cotados para disputar o Palácio das Esmeraldas em 2018.

Daniel tem o apoio de seu pai e do deputado estadual Paulo Cezar Martins, que está em licença parlamentar. Ele conta ainda com a ajuda de peemedebistas ligados ao empresário Júnior Friboi, expulso da legenda em junho.

Leia mais:

Daniel Vilela pressiona, mas deputados decidem apoiar José Nelto
Prefeito diz que, se assumir o comando, José Nelto vai acabar com o PMDB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.