Daniel Vilela lamenta morte de Iris: combateu um bom combate, encerrou sua carreira e guardou sua fé

O emedebista fala de todo o aprendizado e agradece por ter tido o privilégio de conviver com o ex-prefeito de Goiânia

Daniel Vilela, ao lado de Iris Rezende | Foto divulgação

O presidente estadual do MDB, Daniel Vilela, lamentou a morte do ex-prefeito de Goiânia, Iris Rezende, que faleceu na madrugada desta terça-feira, 9. O emedebista declarou que Goiás está tomado por um sentimento de orfandade e que 2021 tem sido um ano difícil para o MDB.

“Hoje é um dia muito doloroso para Goiás, o Iris foi um dos maiores líderes populares de nosso Estado, talvez o mais transformador e realizador”, lamentou Daniel. Ele descreveu a vida de Iris Rezende como a do Apóstolo Paulo, “combati um bom combate, encerrei a carreira e guardei a fé”. A frase foi dita por Paulo, perto do final de sua vida e foi registrada na passagem de 2 Timóteo 4.

O emedebista lembra que o ex-prefeito de Goiânia viveu intensamente, foi para luta e era um homem de fé. “Ele era um homem que sempre ressaltava que a sua vida política estava ligada a espiritualidade, por ter chegado em Goiânia tão novo e logo ter se tornado um líder importante para Goiás. Tenho um sentimento de gratidão por ter tido o privilégio de conviver e aprender com ele”, descreveu.

Confira nota de pesar na íntegra do MDB

O MDB em Goiás está de luto pela morte na madrugada desta terça-feira (9) do ex-governador Iris Rezende, 87, em função de complicações decorrentes de um AVC hemorrágico. E é com um imenso pesar que viemos à público nos solidarizar com a ex-deputada federal e ex-primeira dama de Goiás e de Goiânia, Iris Araújo; com os filhos Ana Paula, Adriana e Cristiano; com os netos Mariana e Daniel; e com os demais familiares e amigos próximos.

Iris, cuja biografia ficará eternizada na história da política goiana, era natural de Cristianópolis – a 90 quilômetros da Capital – e tinha quase 70 anos de vida pública. Disputou o primeiro mandato com 16 anos, concorrendo a uma cadeira na Câmara de Goiânia. Depois de eleito para o Legislativo goianiense, vieram os mandatos de deputado estadual, dois de governador do estado (1983 – 1986, 1991 – 1994), senador (1995 – 2002) e prefeito de Goiânia – por quatro vezes, a última entre 2016 e 2020. Também foi ministro da Agricultura no governo de José Sarney; e da Justiça no de Fernando Henrique Cardoso.

Nós, emedebistas, estamos tomados por um sentimento de orfandade. 2021 tem sido um ano difícil para o nosso MDB. Nem mesmo nos recuperamos da partida de tantos amigos vítimas da Covid-19 – que simbolizamos aqui na imagem de um dos nossos líderes, Maguito Vilela – e já somos duramente atingidos com a partida do ex-governador Iris Rezende.

Mas ao mesmo tempo estamos convictos de que o legado que Iris deixa para Goiás nos incentivará, em todo tempo, a fazer política como ele fazia, com o olhar e os esforços voltados para as pessoas. Com foco na melhoria da qualidade de vida, no bem estar e na dignidade dos cidadãos.

Nos lembraremos para sempre de um Iris que se dedicava incondicionalmente a tudo que fazia. De um Iris que, no seu aniversário, se alegrava ao receber as pessoas em sua fazenda em Guapó. Do Iris maratonista, que corria em volta do Bosque dos Buritis às cinco da manhã. Que servia bolo e pão de queijo feito com leite da sua fazenda para quem o visitava em seu gabinete. De um Iris que amava muito Goiás e Goiânia.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.