Cunha autoriza e CPI do BNDES é criada nesta sexta-feira na Câmara

Agora opositor declarado, presidente da Casa permitiu criação de duas comissões que contrariam os interesses do governo petista

Presidente da Câmara, Eduardo Cunha: demonstra ser o exemplo de que o Legislativo brasileiro só exerce independência quando ameaçado | Foto:  Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Presidente da Câmara, Eduardo Cunha | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Poucas horas após anunciar o rompimento com o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), autorizou a criação da comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A comissão será criada ainda nesta sexta-feira (17/7), mas instalada somente após o recesso parlamentar, no início de agosto.

De autoria dos partidos PPS, PSDB, DEM e PSB, o requerimento para a CPI do BNDES na Câmara foi protocolado em meados de abril deste ano e dependia apenas de um parecer positivo do presidente da Casa.

As denúncias envolvendo um suposto esquema de corrupção dentro do banco surgiram após a publicação da entrevista exclusiva do procurador da República Helio Telho, concedida ao Jornal Opção, quando este atentou para a possibilidade de um escândalo dentro do BNDES, ainda maior que o mensalão ou o “petrolão”.

Eduardo Cunha também autorizou nesta sexta-feira a criação de outras três CPIs, dentre elas a que vai apurar supostas irregularidades nos fundos de pensão das estatais. A expectativa é que as legendas indiquem os integrantes de cada colegiado para as comissões em agosto.

Tanto a CPI do BNDES quanto a dos fundos de pensão contrariam o governo petista. As outras duas comissões criadas nesta sexta-feira investigam maus tratos contra animais e crimes cibernéticos.

Deixe um comentário