Cúmplice de viúva é presa por envolvimento na morte de cartorário

Homens contratados para executar dono de cartório foram presos e indicaram participação da própria esposa da vítima. Eles vão responder pelos crimes de homicídio qualificado, roubo circunstanciado e associação criminosa

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) cumpriu, nesta quarta-feira, 5, mandado de prisão expedido pelo Poder Judiciário contra uma mulher, de 38 anos, acusada de ser cúmplice da viúva do cartorário Luiz Fernando Alves Chaves, 40, morto em dezembro de 2021, em Rubiataba. A investigada, que estava no apartamento em que mora, no Setor Bueno, também está envolvida em outras condutas criminosas praticadas contra a vítima. Foram cumpridos no imóvel mandado de busca e apreensão.

Além dela, a esposa do dono do cartorário também cumpre pena temporariamente. Ela é apontada como a mandante da morte do esposo, com quem teve três filhos. A investigada, segundo a polícia estaria interessada no dinheiro do seguro de vida do ex-marido. Durante o interrogatório, ela contou que mantinha um relacionamento extraconjugal homossexual.

Os homens contratados para executar a vítima foram presos em Rubiataba, a 203 quilômetros de Goiânia. Eles vão responder pelos crimes de homicídio qualificado, roubo circunstanciado e associação criminosa. Luiz Fernando Alves Chaves foi sequestrado no Setor Jardins. Os executores entraram na casa usando o controle do portão, que, segundo a investigação, foi descartado perto de onde o carro da vitima foi abandonado na ocasião da execução.

Dentro da casa, os homens renderam o dono do cartório e o levaram no próprio carro da vítima. Eles receberiam R$ 5 mil, além da caminhonete de Luiz pelo homicídio, que teria sido encomendado pela esposa e a mulher com quem ela teria um relacionamento extraconjugal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.