Cristiane Schmidt defende agenda de privatizações “para que Estado fique sustentável”

Celg GT, Iquego, GoiasGás, GoiasTelecom e Metrobus receberam aval da Assembleia Legislativa para colocar ativos à venda

secretária de Estado da Economia, Cristiane Schmidt | Foto: Lívia Barbosa

A secretária de Estado da Economia, Cristiane Schmidt, falou ao Jornal Opção sobre a sua defesa em relação à agenda de privatizações em Goiás. Para a titular da Economia, essa é uma pauta que visa resultados em longo prazo. “Não estamos pensando em Goiás agora, em populismo. Estamos pensando em longo prazo, para que o Estado fique sustentável. É isso queremos”, resumiu.

Segundo Schmidt, todas as empresas estatais que receberam autorização da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) para serem privatizadas estão sendo endereçadas, etapa necessária para a concretização da venda.  

Vale lembrar que a solicitação do governo estadual de autorização para colocar à venda ativos das empresas governamentais envolve: Celg Geração e Transmissão (Celg GT), Indústria Química do Estado de Goiás (Iquego), Agência Goiana de Gás (GoiasGás), Goiás Telecomunicações (GoiasTelecom) e Metrobus.

“A Celg GT já está em processo e vai ser privatizada no primeiro semestre de 2021. A Goiás Telecom já está em fase de análise para se privatizada ou liquidada. Em relação à Iquego estamos vendo o que vamos fazer”, adianta a secretária.

Ainda de acordo com Cristiane, é preciso entender que o endereçamento é lento. “Não é rápido porque ele também tem um trâmite burocrático interno. Mas, o importante é que estamos endereçando e pensando lá na frente”, encerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.