Cristiane diz que governo anterior fez “manobra” ao não empenhar toda folha de dezembro

Secretária da Fazenda afirmou que medida de José Eliton teve o objetivo de fugir da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)

Foto: Reprodução

A secretária da Fazenda, Cristiane Alkmin Junqueira Schmidt, comentou a polêmica em relação ao não empenho da folha de pagamento dos servidores do executivo relativo ao mês de Dezembro de 2018, pelo governado José Eliton (PDSB). Para a secretária, a “manobra” teve o objetivo de fugir da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“Se o governo anterior tivesse empenhado a folha dos servidores teriam descumprido a LRF. Por isso, antevendo que iria descumprir essa lei, o governador revogou um artigo de um decreto existente para não ser obrigado a empenhar. Olha que loucura”, avaliou a secretaria.

Cristiane Alkmin Junqueira Schmidt disse ainda que irá estudar a possibilidade de empenho anual da folha dos servidores na gestão Caiado, por se tratar de uma responsabilidade que não pode ser afastada.

A reportagem tentou contato com representantes do último governo e não obteve retorno até o fechamento da matéria.

3 respostas para “Cristiane diz que governo anterior fez “manobra” ao não empenhar toda folha de dezembro”

  1. Brasil sem corrupção disse:

    Essa historia está igual ao Lula, mesmo depois de 12 anos no governo ainda reclamava da “herança maldita”, toda troca de governo e a mesma ladainha, se está errado acione a justiça e vá trabalhar, Xororó não paga dívidas, o que paga e trabalho honesto e fim da corrupção.

  2. Sérgio disse:

    Ela fala mas manteve vários dos responsáveis por tal façanha em chefias na Segplan e sefaz.

  3. Aurio disse:

    Achou que estamos voltando a velha politica do íris e Maguito, do mdb, vai começar a choradeira, vc caiadC sabia das dificuldade, você criou o marconi ou esqueceu disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.