CRF-GO faz alerta contra uso indiscriminado de remédio para tratamento da gripe H1N1

Segundo presidente do Conselho, uso inadequado do medicamento coloca em risco a saúde do paciente

A presidente do Conselho Regional de Farmácia (CRF-GO), Lorena Baía, alertou nesta quinta-feira (5/4) sobre o risco do uso indiscriminado do Tamiflu (fosfato de oseltamivir). O medicamento só deve ser usado como tratamento da gripe H1N1 e não como prevenção. O Tamiflu não é um antigripal comum e sim um antiviral eficaz no tratamento da influenza.

O uso inadequado coloca em risco a saúde do paciente. “Se a pessoa usa o medicamento sem a real necessidade, ela pode levar à uma resistência viral”, explica a farmacêutica. A ameaça acontece já que o vírus pode se tornar mais resistente e até sofrer mutação, facilitando sua disseminação.

Além disso, a busca desenfreada pelo Tamiflu nas unidades de saúde pode causar desabastecimento e ameaçar o tratamento do paciente com sintomas reais de H1N1. Segundo Lorena, causa preocupação aos profissionais de saúde que o Tamiflu seja usado por pacientes com sintomas de uma gripe comum, diferente da síndrome respiratória aguda grave.

A presidente diz que a melhor forma de prevenção é a vacina, mas explica que medidas simples contribuem para evitar o contágio da doença: “É importante evitar locais de aglomeração, principalmente unidades de saúde, e lavar as mãos com mais frequência ou utilizar álcool em gel”.

Deixe um comentário